Pesquisar este blog

Carregando...

Translate

Meu outro blog.

Meu outro blog.
Só fotos dos meus gatos e notícias boas dos felinos. CLIQUE na imagem para acessar.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

A única força verdadeira


"Se nos contentarmos com o fato de não sermos ninguém em especial e de não sobressairmos, estaremos em sintonia com o poder do Universo.

O que para o ego parece fraqueza é, na realidade, a única força verdadeira. Esta verdade espiritual é diametralmente oposta aos valores da nossa cultura contemporânea e ao modo como ela condiciona o comportamento das pessoas.

Como nos ensina o Tao Te King, em vez de tentares ser uma montanha, «Sê o vale do Universo». Desta forma, serás devolvido ao todo, e «todas as coisas virão até ti».

De modo semelhante, Jesus ensina-nos o seguinte numa das suas parábolas: "Mas quando fores convidado, vai-te sentar no último lugar, e, assim, quando chegar aquele que te convidou dir-te-á: "Amigo, venha mais para a frente." Então isto será uma honra para ti aos olhos de todos os que estiverem sentados contigo à mesa. Porque todo aquele que se exalta será humilhado, e o que se humilha será exaltado".

Outro aspeto desta prática é abster-se de tentar fortalecer a sua identidade exibindo-se, querendo sobressair, ser especial, causar boa impressão ou exigir atenção, o que também pode implicar que ocasionalmente se abstenha de expressar a sua opinião quando os outros exprimem as deles, permitindo-lhe tomar consciência da forma como se sente.(...) *1

Se não houver ação que você possa levar a cabo e também se não puder sair da situação, então utilize-a para caminhar mais profundamente para a rendição, 
mais profundamente para o Agora, mais profundamente para o Ser.

Quando você entra nesta dimensão intemporal do presente, a mudança acontece, com frequência, de formas estranhas, sem haver necessidade de grandes ações da sua parte. A vida torna-se favorável.

Se fatores interiores como o medo, a culpa ou a inércia o impediram de agir, eles dissolver-se-ão na luz da sua presença consciente.

Não confunda a rendição com uma atitude de «já não quero saber» ou «já não ligo». Se você analisar a situação com atenção, descobrirá que tal atitude está  maculada com negativismo sob a forma de ressentimento oculto e, desse modo, não é de forma alguma rendição, mas sim resistência mascarada.

À medida que você se rende, dirija a sua atenção para o interior de modo a verificar se há algum vestígio de resistência dentro de si. Fique bem alerta quando o fizer, senão uma bolsa de resistência pode continuar a esconder-se em algum canto escuro sob a forma de um pensamento ou de uma emoção desconhecida.(...) *2

Vou dar-lhe um exemplo de um exercício espiritual que trará poder e expansão criativa à sua vida. 
Elabore uma lista das atividades rotineiras que você desempenha habitualmente. Inclua as atividades que considera pouco interessantes, aborrecidas, entediantes, irritantes ou que provocam stress. Mas não inclua nada que você odeie ou deteste fazer. Nestes casos, tem de aceitar ou deixar de fazer essas coisas.

A lista pode incluir a viagem de ida e volta para o seu local de trabalho, ir às compras, tratar da roupa ou de tudo o que você considere enfadonho na sua rotina diária.

Depois, sempre que estiver a desempenhar essas atividades, deixe que elas sejam um veículo para o seu estado de alerta.

Esteja absolutamente presente naquilo que faz e sinta o silêncio em estado de alerta e vivo dentro de si, que serve de pano de fundo a qualquer atividade. Rapidamente vai descobrir que tudo o que faz neste estado de consciência elevada, em vez de ser enfadonho, enervante ou constitui um motivo de stress, começa na realidade a produzir satisfação.

Para ser mais exato, o que lhe dá satisfação não é a ação exterior, mas a dimensão interior de consciência que flui para a ação.

A isto chama-se encontrar a alegria do Ser naquilo que está a fazer. Se você acha que a sua vida carece de significado ou que está demasiado cheia de stress ou tédio, é porque ainda não trouxe essa dimensão para a sua vida. Estar consciente do que faz ainda não se converteu no seu principal objetivo.

O novo mundo floresce à medida que cada vez mais pessoas descobrem que o seu principal propósito na vida é trazer a luz da consciência a este mundo, usando por isso tudo o que fazem para transmitir essa consciência. A alegria do Ser é a alegria de estar consciente." *3

Eckhart Tolle

[*1 Eckhart Tolle em O Poder do Agora]
[*2 Eckhart Tolle em A prática do Poder do Agora]
[*3 Eckhart Tolle em Um mundo novo]


domingo, 1 de maio de 2016

DECRETO DE REI



O Rei deu um sinal, e os convidados reunidos tomaram assento. Com uma voz majestosa e poderosa, desde o mais profundo de seu coração, verteu uma invocação ao “Infinito Supremo Uno”.

«Oh! Magna Fonte Onipresente, Tu que governas o Universo, Tu que és a Chama em cada coração humano! Te amamos, Te louvamos e Te damos nossa gratidão por Tua própria Vida, Luz e Amor em todas as coisas. Te adoramos e contemplamos somente a Ti, a “Presença” em todas as coisas – visíveis e invisíveis, evoluídas e não evoluídas – Tu incessante Corrente de Vida que derramas para sempre em toda criação, o Ser Uno em tudo.

«Meu coração pede com insistência a Ti como nunca antes, para que despertes este meu povo para o perigo em que se encontra, porque ultimamente a indiferença para Contigo os tem invadido como um hálito venenoso, produzindo um sono da alma e correndo um véu ante eles que os separa de Tua Esplendorosa Presença.

«Se eles têm que passar a experiência que consome e queima a escória e nuvens do ser externo, então Te peço que os sustentes e finalmente os leves a Tua Eterna Perfeição. Invoco a Ti, Criador do Universo – a Ti, Deus Supremo e Onipotente.»

(do livro: Mistérios Desvelados -
Ensinamentos do Mestre Saint Germain, pág 54)


quarta-feira, 20 de abril de 2016

NÃO PASSARÃO!



Chamado para o Julgamento dos Anjos Caídos
Que juraram inimizade contra os
Filhos de Deus

Por Jesus Cristo



"Olhai, EU SOU um Filho de Deus!
Olhai, EU SOU uma Chama de Deus!
Olhai, estou firme sobre a rocha do Verbo vivo
E declaro com Jesus, o Filho vivente de Deus:

Não passarão!
Não passarão!
Não passarão!"

Em nome do EU SOU O QUE EU SOU,
Invoco a Presença Eletrônica de Jesus Cristo:

Não Passarão!
Não Passarão!
Não passarão!

Pela autoridade da cruz cósmica de fogo branco, assim será:

Tudo o que é dirigido contra o Cristo em mim, nos santos inocentes, nos nossos amados mensageiros, em todos os filhos e filhas de Deus,

É devolvido agora,

Pela autoridade de Alfa e Ômega,

Pela autoridade do meu Senhor e Salvador Jesus Cristo,

Pela autoridade de Saint Germain!

EU SOU O QUE EU SOU

No centro deste templo
E declaro na plenitude de todo
O Espírito da Grande Fraternidade Branca:

Que aqueles que praticam as artes negras contra os filhos da Luz

São detidos agora pelas hostes do Senhor,
Recebem agora o juízo do Senhor Cristo
Em mim, em Jesus,
E em todos os mestres Ascensos,

Recebem agora,
A total devolução __ multiplicada
Pela energia do Cristo Cósmico __
Dos feitos nefastos
Desde a encarnação do Verbo!

Olhai, EU SOU um Filho de Deus!
Olhai, EU SOU uma Chama de Deus!
Olhai, estou firme sobre a rocha do Verbo vivo
E declaro com Jesus, o Filho vivente de Deus:

Não passarão!
Não passarão!
Não passarão!

E com toda a fé eu aceito conscientemente que isto se manifeste, que se manifeste, que se manifeste (3x) aqui e agora com pleno poder, eternamente mantido, onipotentemente ativo, em contínua expansão e abrangendo o mundo inteiro até que todos tenham ascendido totalmente na Luz e sejam livres!

Amado EU SOU!
Amado EU SOU!
Amado EU SOU!


segunda-feira, 28 de março de 2016

Pai Nosso



Uma Interpretação Universalista Dessa Prece Cristã

 por Carlos Cardoso Aveline

Assim como os livros sagrados de outras religiões, as escrituras judaico-cristãs trazem em si, em forma velada, inúmeros ensinamentos da sabedoria eterna e esotérica. Vejamos um exemplo prático.

No Evangelho segundo Mateus, 6: 9-13, encontramos o Pai Nosso [1]. Trata-se de uma das orações mais famosas e recitadas do mundo. Infelizmente, ela é muitas vezes repetida de modo mecânico e dogmático. Assim, ela nem sempre ajuda de fato o despertar espiritual dos devotos.

É preciso olhar cada trecho de uma grande escritura a partir da compreensão do Todo Universal, para que se compreenda verdadeiramente o trecho em questão.

Uma vez conhecidas algumas chaves de interpretação da tradição cristã, o estudante percebe a mensagem transcendente implícita em vários textos, inclusive o Pai Nosso. Então esta oração deixa de ser obscura ou monótona. Ela ganha um significado universal que é profundamente místico, mas também tem um efeito libertador e estimulante no plano racional e intelectual, e ensina ao peregrino que ele deve libertar a si mesmo ao invés de esperar por alguma salvação externa.

Há pouco mais de um século, Helena P. Blavatsky publicou uma interpretação teosófica do Pai Nosso em seu jornal mensal “The Theosophist”. Hoje quase esquecida, a versão esotérica desta oração faz parte de um texto raro intitulado “Christian Mysticism”, escrito pelo místico alemão Barão von Ekartshausen e publicado em duas partes, nas edições de fevereiro e março de 1885 da publicação. [2]

Diz a oração interpretada, que traduzo - adaptando algumas expressões - diretamente do “Theosophist” de H.P.B.:




O “Pai Nosso” do Iluminado

Pai Nosso ― (Supremo princípio criativo, fonte original de toda existência;)

Que estás nos céus, ― (pois vives nos planos superiores de consciência;)

Santificado seja o teu Nome; ― (possamos nós tratar-te com o devido respeito e com a devida impessoalidade;)

Venha o teu Reino; ― (que nossos desejos e atividades sejam tais que tu como princípio supremo possas manifestar-te plenamente;

Seja feita a tua Vontade ― (em nossa consciência e através de nós,) ―

Assim na Terra como no Céu; ― (no universo visível assim como no universo invisível;)

O pão nosso de cada dia nos dá hoje: ― (a cada dia que passa, nós bebemos da fonte da vida e temos novas oportunidades de obter conhecimento;)

E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como perdoamos nossos devedores ― (pois lutamos para libertar-nos das nossas imperfeições e para ajudar os outros a que se libertem do mesmo modo, porque na medida em que ajudamos os outros, elevamos a nós próprios;)

Não nos deixes cair em tentação ― (e nós sabemos que os estados inferiores de consciência perdem seus atrativos para quem alcançou o mais elevado;)

Mas livra-nos do mal ― (pois desejamos apenas o que seja útil para avançar no caminho do aperfeiçoamento.).

0000000000

A calma leitura da oração acima pode, e deve, ser feita de várias formas sucessivas. 

Uma primeira é uma leitura corrida, como texto contínuo, incluindo tanto o Pai Nosso tradicional como os seus comentários.

Uma segunda é apenas ler apenas os comentários, como se eles fossem um texto independente, e consultando só eventualmente a linha correspondente do Pai Nosso para ver qual a relação com o texto principal.

Uma terceira leitura possível consiste em olhar novamente o texto total, fixando bem a sequência de conceitos e meditando sobre seu significado interior. O texto ampliado ensina a autonomia do aprendiz, e dá alguns elementos para que ele possa melhor colocar-se ― por mérito próprio, embora lenta e gradualmente ― em sintonia direta com as forças cósmicas.

Deste modo, o estudante percebe profundamente um significado novo e mais amplo do Pai Nosso. Agora esta oração é uma chave prática pela qual ele pode aumentar a sua ligação consciente com a comunidade ilimitada de inteligências divinas que constitui o universo.

NOTAS:

[1] Veja também Lucas, 11: 1-4.
[2] “The Theosophist”, Adyar, Madras, Índia, fevereiro 1885 (pp. 100-101) e março 1885 (pp. 128-129). A oração, especificamente, está na edição de março, p. 129.

Fonte AQUI

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...