Pesquisar este blog

Translate

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Os benecífios do bocejo

O bocejo é uma forma de trazer o ar para acender ainda mais o fogo dos chakras. A respiração profunda, tanto ao dormir como nos bocejos, atuam trazendo a energia prana que está no ar, ômega, para ativar as energias etéreas, alfa, dos chakras. O ar atua como um fole para acender a lareira.


Ao princípio sentimos o bocejar como um minúsculo vórtice de baixa pressão em algum lugar no meio da cabeça. Logo se espalha por todo o corpo num movimento em espiral, como um remoinho: dilata a sua faringe, laringe, narinas e canais brônquicos; erguem-se as sobrancelhas e os ombros; o diafragma baixa, para permitir que os seus pulmões expandam; obrigam o coração a correr e aumenta o fluxo de sangue ao cérebro. Depois, numa reviravolta dramática, regressa à sua cabeça, onde consegue que a sua língua se recolha e força as mandíbulas a moverem-se para os lados e para baixo.

Quando bocejamos, libertamos uma onda de oxigénio para o cérebro.

Um reflexo misterioso, o bocejar parece estar ligado à saúde: pessoas que estão gravemente doentes, ou com psicoses agudas, raramente sentem necessidade de bocejar.

O bocejar liberta um funil de energia, que viaja pelo seu corpo, desentupindo túneis parcialmente bloqueados – os canais auditivos, as passagens lacrimo-nasais e os canais linfáticos, assim como ventiladores maiores, como a traqueia e os pulmões. Pode sentir os ouvidos a estalar à medida que a pressão nivela entre este labirinto interno e o mundo exterior.


Bocejar é um desses pequenos movimentos internos que podem liberar grandes ondas de energia inesperadamente. Bocejar pode ser considerado como uma circulação energética formal: é uma ação, um movimento físico que pode ser seguido por um movimento de energia ou onda etérica. Como acontece com todos as circulações energéticas, o movimento de energia é mais importante que o movimento físico. Este movimento de energia tem que ser permitido, caso contrário não acontecerá, ou só acontecerá fracamente. É uma dessas funções naturais que nosso corpo etérico não executa mais automaticamente.

Suprimir um bocejo é um condicionando perverso vindo da educação repressiva.

Quando plenamente executado, o bocejo liberta o coração, como faz o choro. Também liberta muitas tensões que, caso contrário, se acumulariam nos olhos, por conseqüencia a pequena lágrima que aparece no canto dos olhos depois de um bocejo completo, generoso.

Vamos ver como você pode tirar mais proveito de bocejar. Se observar, verá que quando boceja, a maioria das pessoas tende a liberar energias pela boca. Se você puder se dar conta desta liberação de energia e ampliá-la “com intenção”, ao bocejar, isso já será uma melhora significante.

Mas há um modo mais iluminado de bocejar. O princípio geral é bocejar para cima. Você tem que manipular todos os músculos da parte de trás da garganta para o movimento de energia ser dirigido para cima, para o topo da cabeça, ao invés de horizontalmente pela boca. Enquanto boceja, tente prolongar a faringe. A boca não tem que estar muito aberta, na verdade, pode ser mantida quase fechada. Foque toda sua atenção no topo da parte de trás da garganta, atrás da cavidade nasal. Esta área, no telhado da faringe, é muito associada com o metabolismo do néctar da imortalidade.



Dicas

Se você for rápido o bastante, pode usar também o espirro como uma liberação de energia.

Você deve ter notado como bocejar é contagioso.

Em uma série de conferências dadas em Kassel, em junho e julho de1909,
Rudolf Steiner explicou que, na Atlantida, influências subconscientes passavam mais livremente entre seres humanos. Um homem poderoso podia elevar o braço, e apenas com o jogo destas influências subconscientes, todas as pessoas ao redor dele se sentiam compelidas a erguer os respectivos braços automaticamente. Bocejar foi o que restou deste tipo de inclinação.

Situação de aprendizagem
Metodologia científica, experiência e observação

O bocejo é uma ação involuntária, na qual abrimos a boca e respiramos fundo. Pesquisas recentes afirmam que este mecanismo ocorre em fetos de 11 semanas de vida. Até certos animais, como cachorros, gatos e peixes, por exemplo, também bocejam.

Quando uma pessoa boceja, abre bem a sua boca, permitindo a inalação de uma grande quantidade de ar. Ao realizar a inspiração, o pulmão se expande, os músculos abdominais são flexionados e o diafragma é contraído. O bocejo também provoca o aumento do ritmo do batimento cardíaco, elevando-o em até 30%.

Até hoje, não se sabe exatamente o que provoca o bocejo. Existem três teorias que tentam explicá-lo. A teoria física afirma que nós bocejamos para obter uma maior quantidade de oxigênio e eliminar um acúmulo de dióxido de carbono. Por esse motivo, segundo a teoria, nós bocejamos bastante quando estamos em grupo, uma vez que muitas pessoas produzem uma maior quantidade de dióxido de carbono no ambiente.

A teoria da evolução prega que os nossos ancestrais já realizavam uma espécie de bocejo para mostrar os dentes, e que este ato seria uma manifestação de confronto. Outra tese, e talvez a mais conhecida, é a de que o bocejo acontece em situações de tédio, fadiga ou cansaço.

Atualmente, não é possível explicar o porquê de o bocejo ser provocado. Provavelmente, o mesmo é um mecanismo necessário para o bom estado do corpo, já que aumenta a quantidade de oxigênio e o ritmo dos batimentos cardíacos. No entanto, estes benefícios poderiam ser facilmente proporcionados por uma atividade física, por exemplo. Desta forma, o bocejo ainda é um assunto a ser explorado.

Outro aspecto interessante é que, quando vemos e ouvimos alguém bocejar ou lemos algo sobre o tema – como este artigo – existe uma grande probabilidade de bocejarmos também.

Por Tiago Dantas
Equipe Brasil Escola


Teoria - neurônios-espelho

A explicação para o bocejo ser contagioso reside em um grupo específico que neurônios chamados neurônios-espelho. Só descobertos nos anos 80 em experiências com primatas, os neurônios espelho merecem muito do crédito pela nossa evolução. Digo isso porque o conhecimento humano se estrutura a partir da observação e repetição. São os neurônios espelho que entram em ação para fazer com que aprendamos um passo de dança ao ver uma pessoa realizá-lo, ou mesmo assumirmos a postura de nosso interlocutor durante uma animada conversa sem que tomemos consciência dele.

Os neurônios espelho estão diretamente associados ao controle da empatia. Isso significa que se vemos uma pessoa que gostamos bocejar, pode ser que ocorra uma vontade incontrolável de bocejar também. Por sua vez, se a pessoa que vemos bocejar é alguém que detestamos, nosso corpo ficará impassível à aquele estímulo.

Muitas vezes só o fato de vermos uma foto de alguém bocejando ou pensar sobre isso provoca o desejo de bocejar. Esta simples constatação demonstra o poder do nosso sistema nervoso e a força dos neurônios-espelho.

Nem todas as pessoas possuem o mesmo comportamento. Em um experimento psicológico realizado na universidade de Drexel na Filadélfia, isso foi demonstrado ao exibir um video de uma pessoa falando um texto e bocejando. Enquanto as crianças assitiam ao video, um grupo de pesquisadores assistia atentamente as crianças anotando quantas e quais delas bocejaram e quanto tempo levou do estímulo à reação.

Assim, eles descobriram que algumas pessoas reagem ao estímulo mais rápido que os demais. Correlacionando escores obtidos em outros testes psicológicos aos quais o mesmo grupo foi exposto, surgiu uma forte evidência de que as crianças mais abertas aos estímulos (que bocejaram mais rápido) tinham notas maiores na questão da empatia. Esta teoria confirmou a hipótese sobre a característica dos esquizofrênicos e autistas não bocejarem: por viverem em um mundo psíquico isolado e distante do contato com outras pessoas.

Fonte: mundogump.com.br



Um novo estudo revelou que bebês e crianças pequenas estão imunes à “captura de bocejos” até atingirem a idade de cinco anos.




Pode parecer estranho, mas é isso mesmo! Bocejar ajuda a resfriar o cérebro e melhora a concentração.

Da próxima vez que alguém reclamar de um bocejo seu, pode responder: “bocejo, porque quero prestar mais atenção em você”.


Rubi (credo!... rsrsrsss...)


Samuel


Félix

Ísis

4 comentários:

  1. Amei TUDO aqui! Acredito que somos todos irmãos de luz nessa linda caminhada pela Terra... Sou Reikiana e me apaixono cada vez mais por este caminho, pelos Mestres, suas histórias, representações e canalizações.
    Estou seguindo!
    Abraços de Luz! Namastê!

    ResponderExcluir
  2. Oi Élida,
    É, somos todos irmãos aqui na Terra e fora dela.
    Amiga, obrigada pela visita.
    Abraço forte.
    Namastê.

    ResponderExcluir
  3. OI, tudo bem, gostei das explicações eu bocejei o tempo todo que estava lendo,hoje descobri que não é só de ver alguem bocejar, de falar do assunto também acontece tal coisa.

    ResponderExcluir
  4. De facto, a partir de dada altura da leitura, eu comecei a bocejar... levei em conta os vossos conselhos, e pude comprovar muita coisa. A partir de agora vou estar mais atenta. Muito grata _/||\_ Saudações da Mãe Terra

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...