Pesquisar este blog

Translate

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Um Testemunho do Povo Pele Vermelha


"...O que nos vendem como correto/certo não é a verdade. A verdade é muito mais grande/abrangente, e muito mais maravilhosa do que o que nos ensinam nos livros na escola...."

"...o homem foi criado como um mero trabalhador braçal, como um escravo, para servir aos “deuses que o criaram em laboratório genético..."

"...Alguns de nós, muitos de nós, chegamos a entender que a vida é demasiado importante para vivê-la como escravos. Esta é uma das coisas que mais surpreendeu ao Ancião das estrelas (e a todos os demais “deuses”): que nós, nascidos como escravos, tenhamos quebrado as nossas cadeias para procurar viver a nossa vida em liberdade, que nós tenhamos sido bastante inteligentes/corajosos para fazer isto..."



"Nós não estamos sozinhos. Os astrônomos estão errados. Os cientistas estão errados. Eles estão aqui, mas não podemos vê-los, porque eles se escondem. Escondem-se ... Da vista de todos. Nós somos os seus servos, somos seus escravos, nós somos sua propriedade.... Nós somos deles". (aqueles que estão inconscientes).
Robert Morning Sky




Artigo retirado da publicação da revista italiana "NONSIAMOSOLI" (Não Estamos Sozinhos), Ano XII N.º 2 Julho-Dezembro 1996, págs. 17 a 20.

Sábado, 9 de maio de 2009 - Entrevista com ROBERT MORNINGSKY ("CÉU MATINAL"), O DANÇARINO DAS ESTRELAS - por Natalia Zahradnikova e Michael Hesemann - (tradução de Carlos Carvalho). Outro importante testemunho do povo pele-vermelha chegou-nos por Michael Hesemann mediante a seguinte entrevista.



M.H. - Robert, como entrou em contato com a sua tradição? Quem foram os seus mestres?

R.M. - Bem, praticamente nasci junto a ela. O meu pai morreu pouco depois do meu nascimento num acidente, e portanto eu cresci com os meus avós. A dança indígena sagrada não é algo simples de se aprender. Nós podemos explicar os movimentos, mas ninguém pode mostrar o fogo interior e a paixão indispensável para se dançar. As nossas crianças dormem próximo dos tambores, inclusive quando eles são tocados com força. Eles crescem ouvindo a batida/ritmo do tambor, crescem com a dança, observam os mais velhos, os seus pais, os seus irmãos e irmãs, e sentem um fogo dentro deles; que é algo que os impulsiona a dançar e que não lhes permite permanecer sentados em silêncio. O meu mestre, no respeitante à dança, é a minha Tribo (visto que aqui todos me ensinaram a amá-la, a dança sagrada); quem me ensinou a me converter em um guerreiro foi o meu avô ou, melhor dizendo, os meus avós.

M.H. - O seu avô, durante uma visão em 1947, teve um estranho encontro que mudou a sua vida...

R.M. - Sim, em Agosto de 1947 (penso que foi em 13 de Agosto), um mês depois do incidente da queda de um OVNI nas cercarias de ROSWELL, o meu avô se encontrou com cinco amigos seus para tentar ter uma visão. Trata-se de uma cerimônia indígena antiga, uma técnica para tratar de ver o próprio futuro, para estudar aquilo que nos reservam as estrelas. E durante este ritual viram uma enorme luz que se precipitou e caiu na terra. Nós sempre acreditamos na existência dos homens das estrelas; nós sabemos quem eles são, falamos com eles, dançamos com eles, e portanto não há porque nos surpreendermos pelo fato de que o meu avô se interessasse por essa luz, desde o momento em que sabia que dentro daquela luz que caiu havia os homens das estrelas. O meu avô e os seus amigos eram muito ingênuos e ignoravam todas as regras que haviam na reserva indígena. Não sabiam que quando uma estrela cai há que se manter a uma certa distância, porque acodem soldados de imediato, e que estes não estão muito de acordo com os índios. De toda a forma, o meu avô e os seus amigos decidiram buscar a estrela caída, a qual parecia não estar muito longe do lugar onde eles se encontravam; e efetivamente, chegaram ao lugar do acidente antes que os soldados. Inspecionaram os restos do acidente e encontraram um sobrevivente. Decidiram levá-lo consigo e curá-lo. O ser recuperava a consciência de forma intermitente. Quando se encontrava consciente, dava-lhes algumas instruções. Depois de alguns meses já se encontrava totalmente recomposto. Nesse período de tempo conseguiram conquistar a sua confiança e lhe chamaram "O Ancião das Estrelas". Um dia ele pegou um pequeno cristal verde, que era redondo. Quando sustentava na sua mão, podia projetar imagens sobre a pedra. Através destas imagens o meu avô e os seus amigos conseguiram saber quem ele era, o que fazia aqui e donde vinha. Decidiram não falar do ocorrido com ninguém mais porque lhes preocupava a segurança deste ser. Tinham medo que os curiosos chegassem para lhe fazer perguntas, e que os soldados o levassem. Para sua segurança decidiram calar-se. As histórias da sua pátria e da sua forma de viver eram fantásticas. Entre outras coisas, ele também lhes falou de guerras estelares. O seu modo de vida era semelhante ao nosso, indígenas americanos. A nossa história de guerreiros era muito semelhante à deles, e por isso o meu avô e os seus amigos ficaram estupefatos, mas também o Ancião das estrelas se surpreendeu quando soube que aqueles povos primitivos conheciam técnicas semelhantes. Tempos depois, o Ancião começou a contar a história da Terra e da humanidade tal como ele a conhecia. Algumas destas histórias o meu avô as transmitiu a mim, e por esse motivo estou aqui. Antes de que ele morresse, eu lhe prometi que contaria esta história, e este é o motivo pelo qual hoje estou aqui para dizer: "Olhai, os homens das estrelas estão aqui, eles existem e nós devemos escutar bem o que eles têm a nos dizer."

M.H. - Como deixou o Ancião das estrelas ao seu avô? Foi levado embora?

R.M. - Inicialmente devia ter permanecido somente um breve período, mas foi obrigado a permanecer na Terra um pouco mais de tempo por motivo da sua segurança.

M.H. - Quando lhe foi possível partir?

R.M. - Depois do incidente ele permaneceu cinco anos com o meu avô, até que um belo dia deixou o acampamento e desapareceu. Voltou a aparecer mais adiante um par de vezes mais. Estou duvidando um pouco do que vou lhe dizer, mas ele deveria regressar em Agosto de 1996. Eu não sei se os homens das estrelas entendem o que significa a palavra "mundo", especialmente "mundo civilizado". Eu me sinto feliz em saber que ele regressará, mas também estou um pouco preocupado.

M.H. - Irá à sua reserva?

R.M. - Não sei. Penso que seria melhor que ele fosse a alguma parte do deserto, longe da nossa civilização, dos carros, casas; mas não sei. Ele nos fará saber o quando e onde.

M.H. - Onde ele viveu durante os cinco anos com vocês na Terra?

R.M. - Bem, eu não gostaria de dizer exatamente onde viveu, porque muitos curiosos iriam ao lugar para buscar pistas. Eu sei que os soldados já estariam preparados...

M.H. - Viveu numa caverna ou numa tenda?

R.M. - Por todas as partes na zona de Four Corner(os quatro cantos, encontro das fronteiras de quatro estados dos EUA, Utah, Arizona, Novo México e o Colorado), entre o Arizona e o Novo México, Colorado, no deserto, no campo do meu avô e dos seus amigos. Ali há árvores, abetos, cavernas, rochas. Levavam-no de um lugar para o outro. Ele sempre estava fora. Construíram um refúgio. Procuravam estar sempre nas cercarias, mas levavam-no a diversos lugares.

M.H. - Que aspecto tinha o Ancião das estrelas?

R.M. - Esta resposta quiçá surpreenda a algumas pessoas. Já faz algum tempo a televisão dos Estados Unidos mostrou um documentário chamado "filmagem de Santilli". Alguém me perguntou se eu queria ver esta filmagem, e me mostrou uma fotografia que tinha recebido através da Internet. Sei que muitos não me acreditarão, mas o Ancião das estrelas tinha o mesmo aspecto do ser morto da filmagem de Santilli. À minha família e a mim, desgostou-nos ver a filmagem. Não queríamos ver o corpo estendido na mesa de operações. Algumas semanas depois voltaram a passar a filmagem e eu a vi. Não foi fácil ver o filme, pois o Ser se parecia muitíssimo com o Ancião das estrelas (n.t.eram da mesma espécie, pois foram nove tripulantes que caíram, oito corpos foram resgatados pelo exército dos EUA, um ainda com vida). Alguns dias depois, voltaram a passar de novo a filmagem, e os produtores da "Fox-Network" me telefonaram e me pediram a minha opinião; perguntaram-me se eu havia visto a filmagem e o que eu pensava dela. Eu não estava em condições de afirmar se o filme era autêntico ou não, porque não sou um perito; só podia dizer que o Ser que aparecia na filmagem se tratava de um ser real, e não de um manequim ou de um boneco; porque ele se assemelhava muito ao Ancião das estrelas que o meu avô salvou, incluindo o fato de ter seis dedos nas suas mãos e pés.

M.H.O que ensinou ao seu avô o Ancião das estrelas?

R.M. - O que ele ensinou ao meu avô e aos outros, e o que aprendemos nós e os nossos filhos com eles é que a humanidade foi (e continua sendo) enganada. Os deuses, os diabos, os seres que tomam parte nas nossas histórias eram/são seres das estrelas. Fomos utilizados e manipulados porque nos ensinaram a crer em coisas que não são verdadeiras, coisas que foram inventadas, utilizando a presença destes seres para fins desonestos. Custa-me a entender como pode ser tão fácil crer em diabos e demônios, e tão difícil crer em seres das estrelas. O homem aceita o fato de que o céu (espaço) é imenso, mas não crê na vida em outros planetas. O homem crê em histórias de tapetes voadores e de ratos falantes, mas não logra crer em "discos voadores" e em homens das estrelas. O nosso amigo só queria dizer que nós, a humanidade, tem sido enganada. Pretende-se que o homem escute, que aceite cegamente o que se lhe ensina, e que duvide do resto. O que nos vendem como correto/certo não é a verdade. A verdade é muito mais grande/abrangente, e muito mais maravilhosa do que o que nos ensinam nos livros na escola. Eu não quero ofender a nenhum mestre ou professor; muitos deles são pessoas valentes que se esforçam em ser justos, mas o que nos ensinam não corresponde à verdade. Sei que tudo isto forma parte de um sistema, uma missão para o nosso pensamento, e o seu trabalho é o de manter vivo este sistema. Mas o nosso trabalho, na qualidade de seres humanos, é de lutar pela verdade (a elevação de nossas consciências individuais) para evitar danos maiores. Isto é em resumo, o que o Ancião das estrelas tratou de nos transmitir.

M.H. - Ele falou também da história da humanidade?

R.M. - Sim, também falou disso. A humanidade não nasceu de forma espontânea, foi criada para servir aos seres das estrelas. Assim como o homem atual criou a mula, o "macho" estéril que é um cruzamento entre uma égua e um burro, e depois também fez outros cruzamentos diversos com outros diversificados tipos de plantas. Se nós estamos em condições de fazer isto, também poderia tê-lo feito um cientista que tivesse vivido há milhares/milhões de anos. E isto é o que aconteceu: o homem foi criado como um mero trabalhador braçal, como um escravo, para servir aos “deuses que o criaram em laboratório genético”. Nós éramos um animal que foi modificado geneticamente. E isto não foi algo malvado/ruim. Se nós agora temos consciência e experiência, nós a devemos a esta experiência. Alguns de nós, muitos de nós, chegamos a entender que a vida é demasiado importante para vivê-la como escravos. Esta é uma das coisas que mais surpreendeu ao Ancião das estrelas (e a todos os demais “deuses”): que nós, nascidos como escravos, tenhamos quebrado as nossas cadeias para procurar viver a nossa vida em liberdade, que nós tenhamos sido bastante inteligentes/corajosos para fazer isto. Nós estamos em condições de realizar os nossos sonhos. Isto não é fácil, mas quando se é um guerreiro e se leva consigo o fogo interior, então tudo é possível. O que mais lhe tocou da raça humana é que nós levamos o fogo (a centelha divina, a chama trina, a nossa alma) no nosso interior.

M.H. - Que disse ele sobre o seu povo, a sua estrutura social, da sua religião?

R.M. - A religião é um tema um pouco delicado. É algo em que cremos, em que pensamos, que nos é ensinado e que nós aceitamos. No seu mundo, na sua estrela, não existe a fé religiosa. O universo está cheio de maravilhas. Para eles o conceito de fé e de religião não existe. A sua religião é simplesmente o seu modo de viver. Eu amo estas coisas. Eles não têm uma religião. Nós não deveríamos entrar em conflito sobre aquilo que cremos. Só deveríamos discutir; isto é o que deveríamos fazer. O seu grau evolutivo é muito superior ao nosso. Para eles um homem de 100.000 anos é jovem, segundo o que disse o Ancião das estrelas; o atual corpo humano poderia viver entre 2000 e 3000 anos se nós o alimentássemos bem. Mas nós somos programados para a autodestruição. Os nossos corpos envelhecem não porque eles o querem, senão porque nós somos assim. Em tudo o que diz respeito ao modo de vida, à cultura e à sociedade dos seres da sua galáxia, existe um paralelismo com exceção da existência de religião, da duração da vida e do modo de viver, que são muito diferentes. Para eles tudo está orientado para uma vida muito longa, e para nós para uma muito curta.

M.H. - Você teve um encontro com o Ancião das estrelas?

R.M. - Sim, eu sozinho e com outros. Eu nasci em 1947; tinha cinco anos quando o meu pai e os seus 5 amigos decidiram revelar o seu segredo a 2 ou 3 familiares. Eu era um deles e outro era meu primo. No total éramos 25 pessoas. Uns morreram e outros se foram embora; o círculo foi ficando portanto cada vez mais pequeno. Finalmente ficamos apenas 8 rapazes; 6 de nós decidimos estudar para chegar ao conhecimento que hoje são ensinados nas nossas escolas.

M.H. - Aconteceram outros encontros?

R.M. - Sim, ele voltou. A última vez que me encontrei com ele foi no Verão de 1994, aproximadamente em finais de Julho. Ele regressou e voltou a partir para as estrelas de novo. E este é o motivo porque me foi tão difícil ver a película de Santilli; porque ele tinha precisamente a mesma aparência.

M.H. - Quantos encontros você teve com ele?

R.M. - Aproximadamente uns doze. Às vezes se passavam 3 ou 4 anos antes que pudesse voltar a vê-lo. Encontrava-me com ele e passávamos algum tempo juntos, e nos comunicávamos bem.

M.H. - Telepaticamente?

R.M. - Não, não assim precisamente. Para mim, telepaticamente significa simplesmente de espírito a espírito. No meu caso não foi assim. Deixe-me dar um exemplo: Se ele tratava de me descrever uma rosa, eu via esta rosa não só no meu espírito, como também sentia o seu perfume, podia cheirá-la. Telepatia não é o termo adequado; se ele queria descrever um pássaro eu podia vê-lo, podia ouvi-lo, e inclusivamente às vezes podia tocar as suas penas. Isto é muito mais do que telepatia.

M.H. - Uma pergunta simples. De que cor era a sua pele e como ele se vestia?

R.M. - Quando o vi pela primeira vez com o meu avô, ele vestia uma espécie de túnica que lhe tinham feito o meu avô e os outros, e tinha o aspecto de um monge. Isto é do que me lembro. Não sei de que material era, mas a cor era castanha. De todas as formas, a vestimenta que ele veste usualmente consiste numa peça única. Eu não posso dizer se a sua cor seria o prateado ou um branco resplandecente, parecido com a cor das pérolas. Não estou certo mas me parece que não tinha nenhum tipo de botões; não sei como era capaz de colocá-lo. Parecia um pijama de menina. A sua pele variava de rosa pálido a uma cor escura, parecia um homem branco com a pele bronzeada. A sua altura era de 1.40 ou 1.45m, e o seu corpo era vigoroso como o de um guerreiro, e não estava inchado como o que se vê na película de Santilli. Talvez aquele inchaço do corpo morto do filme se devesse aos gases emanados já no estado de putrefação do corpo.

M.H. - Voce sente medo quando se encontra com ele?

R.M. - Sinto que ele é fonte de infinita sabedoria.

Robert "Morning Sky" executando uma dança indígena sagrada.


M.H. - Voce é um índio meio "HOPI" e meio APACHE. A sua tradição fala de contatos com seres das estrelas?

R.M. - O que mais tocou fundo ao meu avô foi que o Ancião das estrelas conhecia o uso da pluma de pássaro, o elemento mais importante dos nossos costumes ritualísticos e culturais. As nossas tradições dizem que estes costumes provinham das estrelas. Começaram com a Raça dos "Akhu", os homens-pássaro que levavam dentro de si o fogo e a paixão. Talvez isto possa irritar outras tribos indígenas, mas eu, na nossa dança tradicional, levo dois discos atrás das costas. E numa das danças, a do fogo, onde se baila o mais rápido que seja possível, estes discos giram, dão voltas, saltam até acima, até abaixo, e eu penso, e espero não atrair deste modo à raiva de alguém, que estes discos querem simbolizar algo diferente do fogo. Para todos isto é o fogo, para mim é distinto, algo muito diferente.

M.H. - Você encontrou petroglifos, desenhos nas rochas que representam seres com seis dedos nos pés?

R.M. - Outro aspecto interessante da filmagem de Santilli é que o corpo daquele ser tem seis dedos nas mãos e nos pés. O ano passado eu os levei às terras do Grande Canyon, no rio Colorado, e lhes mostrei alguns desenhos que representavam a história dos Seres das estrelas, que nesse tempo habitavam a Terra, e que mais tarde decidiram emigrar. Atrás de si deixaram marcas, e a particularidade destas marcas ou pistas, era que eles tinham seis dedos. Portanto os petroglifos confirmam decididamente o que se vê no filme de Santilli. Mas demos um passo mais. Os antigos egípcios e sumérios baseavam o seu sistema numérico no número 12. O nosso sistema está baseado no número 10, por quê? Porque nós temos dez dedos. Eu então me pergunto se os seres que inventaram este sistema numérico nestas antigas civilizações não tinham 12 dedos?. Portanto temos provas também na América antiga, destacando sobretudo que este ser tem 6 dedos do pé.

M.H. - Algum outro índio que vive nas reservas indígenas no sudoeste dos Estados Unidos lhe falou alguma vez de outros incidentes ocorridos com quedas de UFOs no Verão (de junho à setembro) de 1947?

R.M. - O que mais surpreende a mim e a outros índios que vivem nas reservas é que a maior parte dos incidentes de OVNIS - segundo o que eu sei, verificaram-se 16 casos entre 1945 e 1960 nos E.U.A. -, 14 deles ocorreram nas nossas reservas indígenas. Os índios dormem muito bem em campo aberto, e se alguém quer investigar e buscar testemunhos deveria buscá-los entre as pessoas que vivem ali próximo, especialmente entre aqueles cuja vida e tradições giram em volta dos homens das estrelas. E em troca, estranhamente, nos últimos cinquenta anos a ninguém ocorreu a ideia de entrevistar os índios. Para nós isto é muito estranho. As nossas histórias são consideradas como mitos, lendas (saíram um par de livros que falam de índios e extraterrestres), mas isto não é verdadeiro. Nós falamos de seres verdadeiros. Por isso eu me dirijo à opinião pública e aos investigadores do tema OVNI e lhes digo: Vejam, há muitas histórias que vocês do dito mundo "civilizado" nunca escutaram. E uma delas é a do incidente de 4 de Julho de 1947; a que ocorreu em ROSWELL não foi a única daquele verão. Nós os índios sabemos que ocorreram três nessa mesma época. A primeira teve lugar nos princípios de Junho em Socorro (Novo México). Este é o caso a que deveria pertencer à filmagem da autópsia, e não a de ROSWELL. O dito incidente de ROSWELL ocorreu em Julho e o terceiro caso ocorreu em meados de Agosto na zona do Four Courner (encontro de quatro estados dos EUA: Colorado, Novo México, Arizona e Utah). Foi nesse último caso que o meu avô salvou o sobrevivente que nós chamamos de Ancião das estrelas; mas os investigadores de OVNIS só falam do "caso ROSWELL", ninguém fala de outros casos; nos últimos cinquenta anos nunca fizeram nada para se aproximarem de nós, que estamos abertos, somos honestos e não queremos enganar ninguém.





Os Quatro Cantos ("Four Corners") são uma região do oeste dos Estados Unidos da América com a particularidade de ser o único lugar do país onde se encontram as fronteiras de quatro estados, em ângulos retos de 90° que, no sentido horário, são os estados do Colorado, Novo México, Arizona e Utah. Esta singularidade geográfica está situada em terras dos índios Navajo e Ute (estes últimos têm uma reserva na "esquina" do Colorado, assim como os índios HOPIS). Apesar da sua remota localização, o local é um destino turístico popular, e já desde 1912 conta com um marco geográfico, substituído em 1992 por uma placa de granito com um disco de bronze que marca o exato ponto de encontro dos quatro estados, rodeado pelos escudos e bandeiras dos respectivos estados.

M.H. - Conhece testemunhas do caso de Socorro?

R.M. - Sim, naturalmente.

M.H. - Poderia me pôr em contato com eles?

R.M. - Sim, mas não posso lhe prometer que falem consigo, porque você é um homem branco. Para os índios é muito difícil confiar em quem não é índio. Eles podem ter as melhores intenções, mas não é fácil esquecer 300 anos de exploração e violência. Mas juro-lhe que neste momento há índios que sabem exatamente do que estou falando, mas eles não falarão porque têm medo, não de voce, mas das câmaras de televisão, da opinião pública; têm medo que alguém possa vir aqui atraído pela publicidade. Sim, eu poderia lhe dar os seus nomes, e poderíamos tratar de ir juntos até onde eles estão. Voce quer falar com eles? Podemos tentá-lo, mas não posso prometer nada.

M.H.Nós provaremos, Robert, eu voltarei. Mas você já falou com eles?

R.M. - Sim, e eles me disseram donde provinha esse disco voador e onde ele caiu, assim como o que aconteceu aos Seres das estrelas. Na reserva corriam rumores de alguns casos e de alguns seres. Frequentemente estes seres sobreviviam ao acidente, mas não aos soldados. Estas são histórias horríveis. Tratavam-se de Seres das estrelas, próximos a Deus como ninguém, e os soldados os matavam. Que possibilidade temos nós como índios? Nós somos muito menos importantes. Numa escala de 1 para 10 já nos contentávamos ao menos de pontuar com 1; por isso temos medo. Se eu os levasse até eles, e eles falassem com vocês poderiam vir os soldados? Talvez. Deveríamos confiar? Não. Desagrada-me, mas quando um povo, o nosso, que já sofreu tanto, há que se compreender que não tenham vontade de falar.

M.H.E sobre às profecias dos índios HOPI, dos Kachinas, da Estrela Azul, do cometa Hale-Bopp. Que é que você pode me dizer sobre isso?

R.M. - Eu não sou um Ancião HOPI, não falo para ou pelo povo dos HOPI. Uma vez tentei falar com os Anciões HOPI e lhes disse: Vejam, há que se dizer ao resto do mundo o que está se sucedendo. Como já o dissemos, nós os índios sempre temos sido castigados, e quando conhecemos uma profecia perguntamo-nos porque é que a deveríamos compartilhar com o resto do mundo? De todo o modo, o surgimento do cometa avistado pelos astrônomos, que o chamaram de HALE-BOPP é citado nas profecias. Não fica bem que eu fale das profecias e do seu significado, mas digo somente que estava tudo profetizado. Deste cometa também falam as profecias MAIAS, dos aborígenes, assim como os antigos livros dos Sumérios e dos Egípcios. Baseando-se nas profecias dos HOPI e dos antigos hieróglifos, eu gostaria de afirmar que não creio no fim do mundo, no fim da humanidade, senão que penso que algumas coisas mudarão. Os que se esforçarem (em sua própria evolução) sobreviverão, e aqueles que tiverem medo, provavelmente não vão sobreviver (caso da maioria). E por favor não subvalorizeis as minhas palavras. Esta profecia não tem nada que ver com o espiritismo. Se eu digo 2, 4, 6, 8, qual é o número seguinte? Sem possuir faculdades paranormais você me dirá que se trata do 10. Você teria profetizado o 10? Não, ele é uma consequência lógica. O que quero aqui dizer é que as profecias MAIAS e HOPIS não são fruto de atividades mediúnicas, mas sim de CONHECIMENTO (e sabedoria) ancestral. Eles sabem (os sábios de todas as tribos) que a cada 2000 ou 10000 anos deveriam se suceder determinadas coisas. O que significa isto? Os antigos povos conhecem a história do planeta desde muitos milhares de anos. As profecias se baseiam em modelos conhecidos e (fatos) não em forças mediúnicas.

M.H.O que dizem estas profecias?

R.M. - A passagem do Cometa Hale-Bopp deveria coincidir com o regresso dos Kaschina da Estrela Azul. Um Kaschina é um espírito da natureza, a essência de todas as coisas. Uma águia tem uma Alma, nós a chamamos de Kaschina. O Vento tem uma Alma que nós também chamamos de Kaschina. As nossas lendas dizem que no final dos tempos, no final deste ciclo, aparecerá uma estrela luminosa cujo nome é Nan-ga-sohn. A dita estrela é azulada, com a cabeça em forma de cruz e uma larga cauda de plumas por detrás. depois de 7 anos da sua aparição, ela desceria concluindo-se este ciclo. Esta estrela luminosa Kaschina, "Nan-ga-sohn" representa, segundo a minha opinião, o cometa que se está aproximando. Diz que esse cometa tem uma cauda de vários milhares de quilômetros: os astrônomos dizem que não é possível, mas assim é.

Antes se dizia que o cometa deveria ter uma cor azul, e se descobriu que esse cometa tem uma luz azulada. Também a estrela de quatro pontas foi descoberta no semblante de Kaschina: uma estrutura, uma marca, algo na superfície do cometa que se parece a uma cruz. A longa cauda do cometa é a mesma que a do Hale-Bopp. A profecia diz que o homem branco teria medo do cometa, porque este deveria mudar o seu mundo, e eu creio nisso. O homem branco tratará de destruir este cometa. Já está começando a ter medo. Nós veremos por todas as partes asteroides e cometas, e os consideraremos perigosos. Assim os militares construirão uma bomba, um míssil, qualquer arma para destruir este cometa, porque o consideram perigoso. Mas eu penso que se trata só de uma desculpa, pois tratarão de destruí-lo somente porque está profetizado. Eles conseguirão? Talvez. Eu penso que algumas pessoas quando verem a cruz na sua superfície pensarão em algo religioso; pensarão no regresso do Filho de Deus. Respeitosamente digo que não é exatamente assim, mas e ao mesmo tempo o será.

M.H.O que acontecerá depois do ano 2000?

R.M. - O Cometa aparecerá em 1997, e sete anos depois estaremos em 2004. Mas há astrônomos e investigadores bíblicos peritos em computadores que analisam a data de nascimento de Jesus, e descobriram que este nasceu provavelmente sete anos antes da data oficializada. O nosso calendário está portanto atrasado sete anos. Se o fim do ciclo é, segundo o nosso calendário no ano 2004, somando os sete anos chegamos ao ano 2011. Este ano será só um ano antes do fim do ciclo, segundo o calendário MAIA e segundo outros calendários orientais. Por este motivo estou convencido de que o cometa Hale-Bopp é um sinal de algo que deve suceder. O fim do mundo? Não. Mas sim de Grandes mudanças? Seguramente.

(Artigo retirado da publicação da revista italiana "NONSIAMOSOLI" (Não Estamos Sozinhos), Ano XII N.º 2 Julho-Dezembro 1996, págs. 17 a 20. A inserção de fotos é extraído do mesmo artigo).



Os "deuses" (a partir de 2013) estarão voltando e isso pode NÃO SER BOM para os habitantes do planeta Terra.

Enquanto a raça humana aceitar Senhores e deuses salvadores, nós estaremos aceitando uma existência da servidão. Quando nós finalmente nos lembrarmos que nosso próprio reino planetário foi tomado, quando finalmente olharmos para nós mesmos como nosso próprio Mestre ou Deus, com responsabilidade pela nossa própria existência, liberdade e escolhas, então e só então estaremos livres de (deuses) extraterrestres. Nós somos GRANDES VÍTIMAS DE NOSSA PRÓPRIA IGNORÂNCIA E PREGUIÇA MENTAL.

O autor (Robert Morning Sky, um índio nativo Pele Vermelha) pede ao leitor que seja mais curioso e interessado em sua própria evolução para investigar por si mesmo as informações apresentadas aqui. Não aceite nenhuma delas como definitiva, mas desafie todas elas. Decida por si mesmo se as palavras dele aqui relatadas são confiáveis e verdadeiras. Você é seu próprio deus, você é o mestre de seu próprio destino – se você puder relembrar a Verdade que existe em seu interior.

“NÃO ANDE ATRÁS DE MIM, TALVEZ EU NÃO SAIBA LIDERÁ-LO. POR FAVOR, NEM ANDE EM MINHA FRENTE, TALVEZ EU NÃO SAIBA SEGUI-LO. ANDE AO MEU LADO PARA QUE JUNTOS POSSAMOS CRESCER E GALGAR OS DEGRAUS DA ELEVAÇÃO DA CONSCIÊNCIA.”

PROVÉRBIO SIOUX


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Sintomas da Iluminação


Existem apenas dois sintomas da iluminação, apenas duas indicações que a transformação está ocorrendo dentro de você em direção a uma consciência mais elevada. O primeiro sintoma é que você para de se preocupar. As coisas não incomodam mais. Você se torna leve e cheio de alegria.

O segundo sintoma é que você encontra coincidências mais significativas em sua vida, cada vez mais sincronicidades. E isso acelera ao ponto onde você realmente experimenta milagres.

Deepak Chopra, Synchrodestiny


sábado, 21 de julho de 2012

E Se Fosse Seu Último Dia?

"...Viva sua vida como se fosse hoje seu último dia. Pense que este dia é tudo o que você tem e que essas horas são a sua eternidade..."


Às vezes, penso sobre as surpresas que a vida nos coloca no caminho. São tantas coisas que nos acontecem, positivamente ou não, e, na maioria das vezes, não pensamos sobre elas. Na verdade, quase sempre tocamos direto, sem nos perguntarmos o porquê de determinadas situações se apresentarem. Apenas seguimos.

Na vida, nada acontece por acaso, existe por traz de tudo o que fizemos um grande significado. Lógico que muitos discordam dessa verdade, mas eu, acredito nela, pois tenho inúmeras experiências vividas que comprovam o que falo, e tenho certeza que você também tem.

Vivemos o nosso dia-a-dia sem nos perguntarmos e muito menos questionarmos sobre o que pode nos acontecer. Achamos e acreditamos piamente que nada poderá estragar os planos que traçamos. Somos, muitas vezes, arrogantes, pretensiosos com o que a vida pode estar nos reservando e, dessa forma, agimos como intocáveis, inatingíveis.

Essa crença faz com que desenvolvamos comportamentos e tomemos atitudes que podem estar nos prejudicando sem ao menos percebermos.

Imagine se você soubesse que hoje seria o último dia de sua vida, que você não viveria mais, que seria a última vez que veria as pessoas de quem você gosta, que seria a última vez que você beijaria os seus amores, que seria o último encontro com seus filhos, sua família, seus amigos, colegas de trabalho, seus pais, enfim, você nunca mais fará e verá tudo aquilo que vem fazendo nesses últimos anos. Como você agiria se levantasse da cama e soubesse disso?

Com certeza, seria totalmente diferente do que é no dia a dia. Será que irias sair de casa do mesmo jeito? Será que chegaria ao trabalho da mesma maneira e olharia os colegas, chefe, clientes com os mesmo olhos?

Será que ficaria desperdiçando seu tempo se queixando dos infortúnios ou derrotas do passado, das dores da alma, das angústias vividas, dos tombos levados, das mágoas retidas, das ofensas recebidas, etc?

É claro que não. Então a proposta que lhe faço é. Viva sua vida como se fosse hoje seu último dia. Pense que este dia é tudo o que você tem e que essas horas são a sua eternidade. Olhe para as pessoas e pense nisso. Agarre o seu dia, suas horas e seus minutos como se fossem os últimos, pois dessa forma, você não os desperdiçará, porque não terá a oportunidade de tê-los novamente e, assim, sua maneira de pensar e agir será totalmente diferente. Seu comportamento e atitudes serão mudados imediatamente, afinal, você não tem tempo para perder tempo.

Beije sua esposa(o) e filhos como nunca beijou, pois será o último, abrace seus amigos como nunca abraçou, pois não mais irá abraçá-los, dê o melhor de você para todas as pessoas que cruzarem o seu caminho, pois não mais terá a oportunidade de fazê-lo, atenda a seus clientes com todo o amor do mundo, pois será a última venda da sua vida. O seu último dia deverá ser o seu melhor dia de todos.

A vida é um turbilhão de mudanças, mas a mais importante é aquela que muda o seu comportamento, suas atitudes e forma de encarar a vida. Então.

VIVA HOJE COMO SE FOSSE SEU ÚLTIMO DIA.

por Gilberto Wiesel

Fonte AQUI


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Última oportunidade



Os guias espirituais afirmam que a Terra está no final de um ciclo de evolução e que no terceiro milênio os espíritos mais atrasados, tanto na crosta terrestre como no plano astral, serão afastados, para que, livre desses elementos, os que ficarem qui possam desfrutar de uma vida melhor.

Quem acredita na violência como solução dos problemas não poderá mais reencarnar aqui. Terá que renascer em um planeta primitivo, sem as facilidades da era moderna.

Podem imaginar como será viver em um mundo sem eletricidade, rádio, computador, automóvel, televisão, cinema, telefone, raio-X, anestesia, etc.?

Uma pessoa maldosa, em uma sociedade mais primitiva, com costumes bárbaros, ao invés de abusar dos bons, como faz aqui, terá que enfrentar seus iguais e encarar a própria crueldade.

Havia, no astral inferior, muitos espíritos nessas condições. Foi-lhes oferecida uma última oportunidade: reencarnar aqui, tentar melhorar para poderem continuar ligados ao planeta. Como o ciclo está terminando e não havia tempo, foi feita uma verdadeira “varredura” no astral e reencarnaram muitos de uma vez. Eles estão no mundo, contribuindo para o considerável aumento da violência.



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Fim do Mundo?

"...A permanência na Terra depende muito mais do caráter, da conduta ética e da capacidade de amar os semelhantes do que dos conhecimentos esotéricos relativos à Ascensão..."


Fonte imagem AQUI



por Carlos Roberto Castilho

Evidentemente a imensa maioria da população não tem ideia do que está para acontecer, mas também é verdade que boa parte dela anseia por mudanças capazes de alterar profundamente tudo que existe no planeta, e também isso não significa que tudo esteja parado. Não é de hoje que inúmeros eventos estão acontecendo em todas as partes do mundo que indicam mudanças na consciência dos seres humanos.

A Era de Aquário tem como fundamento principal a Liberdade e ela vem sendo conquistada aos poucos ao longo de muitos anos. Eventos que podem ser citados como exemplos são: o movimento de liberação da mulher, a queda do muro de Berlim, o Apparteith na África do Sul, o movimento hippie, a organização dos países em blocos, etc. Em nível de aumento da consciência humana, atualmente até mesmo as crianças possuem compreensão do valor da preservação ambiental, muitas empresas hoje operam com o conceito de responsabilidade social, há também uma forte preocupação com a preservação dos animais, ao mesmo tempo em que aumentam as ações de indignação com a violência urbana, contra a mulher e as crianças.

De fato, muitas coisas estão acontecendo no mundo e às vezes não nos damos conta disso tudo porque há uma estrutura de poder que nos mantém reféns e é justamente isso que meu texto exposto aqui procura informar, ou seja, a finalização deste sistema de controle.

O processo de adaptação à nova situação irá ocorrer de forma relativamente semelhante às adaptações havidas no passado. Assim é a dinâmica do mundo. Quem tiver a mente mais aberta conseguirá conviver e ajustar-se mais rapidamente. Aqueles mais cristalizados em seus sistemas de crença terão, evidentemente, dificuldades maiores. Cabe a nós ajudar no esclarecimento das pessoas com as quais convivemos, sempre respeitando o livre arbítrio delas de aceitar ou não nossas ponderações.

Mais à frente o processo se esclarecimento será bem mais fácil. Depois de todas as questões que apresentei na mensagem é aguardado um fenômeno bastante inusitado que tornará a Luz que emitimos visível a todas as pessoas. Isso possibilitará a diferenciação das pessoas que são mais espiritualizadas daquelas que não atingiram estágios tão elevados, proporcionando a oportunidade de diálogos e ensinamentos relativos à evolução não mais com base em dogmas, mas em experiências verdadeiras. Isso representa praticamente o fim das religiões e coloca o desenvolvimento espiritual baseado principalmente nas trocas de informações entre seres humanos mais evoluídos e menos evoluídos.

É grande o grupo de pessoas que habitarão a nova Terra, independentemente dos conceitos que elas têm a respeito da Transição Planetária. A permanência na Terra depende muito mais do caráter, da conduta ética e da capacidade de amar os semelhantes do que dos conhecimentos esotéricos relativos à Ascensão. Também não é pequeno o número de seres humanos que não estarão em condições de viver neste planeta na Nova Era, e terão de migrar para outros planetas mais adaptados ao nível evolutivo de cada um. Isso não deve ser visto como castigo, mas dificilmente seres humanos de baixa vibração tolerariam viver em ambientes onde tudo é comandado pelo amor incondicional e pela cooperação mútua. Como se diz modernamente, “cada um no seu quadrado”.

Quanto aos extraterrestres, minha convicção é a de que a Terra está virtualmente “fechada” para seres do espaço que não sejam de boa índole. Mas também não há a menor necessidade de que todos acreditem nos seres cósmicos que estarão conosco dentro de alguns dias. Quem estiver com algum grau de desconfiança poderá observar a conduta destes seres e avaliar por si mesmo. De antemão podemos pensar em alguns pressupostos interessantes para esta avaliação, que são os seguintes: Por que seres imensamente mais evoluídos tecnologicamente do que nós precisariam se apresentar como nossos “amigos” e “professores”? Se nós humanos desejássemos dominar seres inferiores a nós, como uma colônia de formigas por exemplo, não precisaríamos “entrar em contato” com elas, dizer das nossas intenções de ajudá-las, e assim por diante, simplesmente as dominaríamos.

De qualquer forma, os extraterrestres serão mais bem aceitos quando eles nos revelarem novas formas de fazer a gestão do planeta e da humanidade, com base em princípios altruístas e não agressivos. Quem não tiver confiança neles no primeiro momento poderão adquiri-la depois. Eles já anunciaram que vão disponibilizar curas para doenças graves e crônicas, novas tecnologias de produção de alimentos, sistemas de produção e transportes utilizando energias limpas, inovações no campo da habitação e das comunicações, etc. Além disso, que são aspectos puramente materiais, haverá transferências de conhecimentos cósmicos e espirituais ainda fora da nossa compreensão. Esta relação ser humano-ser cósmico está apenas começando agora e muitos estágios estão previstos depois dos primeiros contatos.

Já tivemos experiências bem dolorosas relativas à escravidão na Terra. Já passamos por isso na antiguidade e também em épocas mais recentes, quando os negros e os índios submeteram-se aos caprichos dos poderosos. Isso nos permitiu perceber que quem deseja escravizar não instrui, não demonstra interesse, não dá soluções para o escravo. Na época dos greys, por exemplo, eles simplesmente faziam as abduções que queriam sem se importar com as consequências para o abduzido. Se os seres extraterrestres que estão conosco agora têm conduta tão diferente, então vale a pena aguardar um pouco mais antes de fazer qualquer juízo de valor sobre eventuais más intenções deles.


sábado, 7 de julho de 2012

Minha alma


Que é isto que aperta meu peito?
Minha alma quer sair para o infinito ou a alma do mundo quer entrar em meu coração?



quinta-feira, 5 de julho de 2012

Calma Interior

Imagem Jim Warren - fonte AQUI


“Quando você perde contato com sua calma interior, perde contato com você mesmo. Quando perde esse contato, fica perdido no mundo.”

Eckhart Tolle
(O poder do silêncio)

terça-feira, 3 de julho de 2012

Triângulo das Bermudas: Descobertas PIRÂMIDES de CRISTAL submersas



O Triângulo das Bermudas: misterioso, irreal, às vezes mortal. Por décadas, pesquisadores intrépidos mergulharam no labirinto de mistérios escondidos nas profundezas deste lugar, o mais enigmático na Terra.

Tradução: Thoth3126@gmail.com 



Alguns especulam que as anomalias de tempo bizarras, desaparecimentos e fenômenos estranhos podem ser explicados por ocorrências naturais. Outros insistem que relíquias de uma cultura avançada e desconhecida (ATLÂNTIDA ?) deixou para trás fantástica tecnologia ... Máquinas de geração de energia que literalmente deformam o espaço-tempo na região e abrem portais para outras realidades. Agora exploradores americanos e franceses fizeram uma descoberta monumental: uma imensa pirâmide de cristal, parcialmente translúcida, que se ergue desde o fundo do mar das Caraíbas – a sua origem, idade e propósito são completamente desconhecidos.



(AA) Estas estranhas estruturas subaquáticas em forma de pirâmides a uma profundidade de dois mil metros foram identificadas com a ajuda de um sonar de acordo com o oceanógrafo Dr. Verlag Meyer. Estudos de outras estruturas como às encontradas em Yonaguni no moderno Japão permitiram aos cientistas determinar que as duas pirâmides gigantes, aparentemente feitas de algo como a espessura de um vidro, são realmente impressionantes -. Cada uma delas é maior do que a pirâmide de Quéops, no Egito.
Recentemente cientistas norte americanos e franceses, bem como de outros países que estão conduzindo pesquisas em áreas do leito do mar do Triângulo das Bermudas, afirmam ter encontrado uma pirâmide de pé no fundo do mar que nunca havia sido descoberta.

O comprimento da base dessa pirâmide atingiu os 300 metros, com 200 metros de altura, e à distância desde a base até a ponta da pirâmide é de cerca de 100 metros acima do fundo do mar. Resultados preliminares mostram que esta estrutura a ser feita de vidro ou um material do tipo parecido com vidro (cristal?), pois o mesmo é totalmente liso e parcialmente translúcido.
Quando se fala de tamanho, esta pirâmide recém descoberta é maior em escala do que as pirâmides do antigo Egito. No topo da pirâmide existem dois furos muito grandes, água do mar em movimento penetra a alta velocidade através do segundo orifício e, portanto, as ondas turbulentas rolam pela formação de um vórtice gigante que faz com que as águas em torno desta cause um aumento maciço nas ondas e névoa sobre a superfície do mar. Esta nova descoberta faz com que os cientistas se perguntem se esta pirâmide está tendo um efeito sobre a passagem de barcos e aviões e poderia ser a razão para todo o mistério que cerca a área.

Construídas sobre terreno - Perdidas e soterradas pela água durante a última MUDANÇA dos Polos Magnéticos?

Existem vários estudiosos ocidentais que afirmam que a pirâmide no fundo do mar pode ter sido inicialmente feita no continente, depois um terremoto devastador atingiu e mudou a paisagem completamente. Outros cientistas argumentam que algumas centenas de anos atrás as águas da área do Triângulo das Bermudas pode ter como uma das atividades fundamentais do povo de Atlântida, Pirâmides hoje no fundo do mar pode ter sido um armazém de abastecimento para eles (n.t. Que grande falta de imaginação... e conhecimento verdadeiro). Talvez ela esteja relacionada com a raça de humanóides descobertas debaixo d'água no Estado de Washington em 2004 – os chamados seres "aquatic apes"? (Ver último artigo intitulado ("Animal Planet: Marinha ENCOBRE descoberta de seres inteligentes encontrados no Oceano")



Um estudo mais detalhado ao longo do tempo vai dar resultados que são difíceis de se imaginarem. Os cientistas processaram todos os dados e concluíram que a superfície da pirâmide é perfeitamente lisa para que se pareça como vidro ou gelo. O tamanho das pirâmides são quase três vezes o tamanho das pirâmides de Quéops. Esta notícia foi sensacional, e foi discutido em uma conferência na Flórida, e mesmo relatada nos jornais locais da Flórida. Os jornalistas então presentes, tem um monte de fotos e dados computadorizados de alta resolução, que mostram pirâmides tridimensionais perfeitamentes lisas, sem estarem cobertas e com sua superfície livre de detritos ou algas ou rachaduras.

Há também a suspeita de que o Triângulo das Bermudas e a área onde esta pirâmide foi supostamente localizada pode ser algum tipo de "local com motivos sagrados" que está sendo protegido pelos atlantes das fábulas – e que tudo o que cruza o local é considerado uma oferta ... Outras hipóteses de que a pirâmide pode atrair e recolher os raios cósmicos, a partir do "campo de energia", assim chamada ou "vácuo quântico", e que este pode ter sido usado como uma usina de energia para Atlântida (ou quem estava por perto no momento). Com o mistério que ainda envolve as pirâmides egípcias e o fato de que as estruturas piramidais parecem ser encontradas em quase todas as culturas antigas (e em todo o planeta) - nos parece que vai ser difícil dizer com certeza a origem dessa estrutura ou se ela (a origem) realmente existe (ainda assim nós não fomos lá em baixo...), mas não se esqueça de olhar para trás de como frequentemente nós da Apparentlyapparel & BeforeItsNews.com tentamos lhes trazer este tipo de notícia antes que ela aconteça para o resto do mundo. É por isso que estamos aqui. Essa é a nossa missão.

Verdadeiro ou Falso?

"Isso não parece muito real para mim", disse Calvin Jones da Divisão de Recursos Históricos do estado da Flórida. "Eu estou sempre de mente aberta, porque nós estamos sempre aprendendo coisas novas. Mas a idéia de uma estrutura piramidal, muito menos uma feita de vidro, sob mais de 10 metros de água - as chances são de uma em um milhão ".

Jones disse que se isso for uma genuína descoberta arqueológica, a pirâmide teria que ter sido construída entre 10.000 a.C. e 6.000 a.C., quando a plataforma continental não estava coberta pela água, disse Chisholm. Arqueólogos da Florida concordam com ele no intervalo de tempo, mas discordam com muitas outras reivindicações de seu grupo. O antropólogo da Florida State University, professor Glen Doran disse que no Oriente Próximo as pirâmides são datadas mais cedo, cerca de 4.000 a.C. e todas as pirâmides do Novo Mundo são datados a partir de 1 dC. Portanto, essa mesma estrutura na costa da Flórida seria pelo menos 2.000 anos mais velha que todas as outras pirâmides conhecidas.

Outras Pirâmides submarinas são encontradas

Em 1977, uma descoberta misteriosa foi feita sobre o leito do Oceano Atlântico relativa a uma tecnologia desconhecida. A pirâmide de quase 200 metros foi misteriosamente iluminada, com água branca espumante em torno dela que se tornou verde profundo, um contraste chocante com as águas escuras e negras nessa profundidade. A descoberta foi fotografada pela expedição Cay Sal de Arl Marshall. Outra grande pirâmide, sob 3.000 metros de água do Atlântico, foi relatado ter sido encontrada com um cristal vibrante em cima dela, pela expedição de Tony Benik. O grupo também encontrou um tablete de cristal opaco no mesmo local, e relataram que, quando uma luz foi transmitida através dele, inscrições misteriosas se tornaram visíveis.



Imagem: Jean Luc Bozzoli | http://jeanlucbozzoli.com/

Mais pirâmides submarinas foram encontradas fora da América Central, Yucatan, e Louisiana, onde cúpulas foram encontradas no Estreito da Flórida. Um edifício de mármore estilo grego foi encontrado entre a Flórida e Cuba. E que dizer sobre a coluna que irradiava energia que o Dr. Zink encontrou nas Bahamas, e o Dr Zink também trouxe outros artefatos de seus mergulhos ao longo do Oceano Atlântico, e ele foi entrevistado pelo agente da M.I.N.D. International, Steve Forsberg.

Outras pirâmides foram exploradas pelo Dr. Ray Brown no fundo do mar ao largo das Bahamas, em 1970. Brown foi acompanhado por 4 mergulhadores que também encontraram estradas, cúpulas, edifícios retangulares, instrumentos metálicos não identificados, e uma estátua segurando um cristal "misterioso", contendo pirâmides em miniatura. Os dispositivos de metal e cristais foram levados para a Flórida para análise em uma universidade local. O que se descobriu foi que o cristal amplificava energia que passava através dele.Talvez esta seja a razão para a pirâmide do tipo de vidro!

Esfera de Cristal do Dr. Ray Brown

Em 1970, o Dr. Ray Brown, um médico naturopata de Mesa, Arizona, foi mergulhar com alguns amigos perto das Ilhas Bari, nas Bahamas, perto de uma popular área conhecida como a Língua do Oceano (Isto foi retratado no programa de TV "In Search Of - Atlantis", originalmente feito em 1979.

Ver vídeo aqui: http://youtu.be/jCDD76JXLKk) Durante um de seus mergulhos, Brown se separou de seus amigos e ao mesmo tempo procurando por eles, ele se assustou quando se deparou com uma estranha forma de pirâmide em silhueta contra a luz da água marinha.

Ao investigar mais, Brown foi surpreendido por quão suave e semelhante à um espelho era a superfície de pedra de toda a estrutura, com as juntas entre os blocos individuais quase indiscerníveis. Nadando em torno do topo, ele pensou que poderia ser feito de lápis-lazúli, ele descobriu uma entrada e decidiu explorar o interior. Passando ao longo de um estreito corredor, Brown finalmente chegou a uma pequena sala retangular com um teto em forma de pirâmide. Ele estava totalmente surpreso que essa sala não continha algas ou corais crescendo nas paredes internas.

Elas estavam (as paredes) completamente impecáveis! Além disso, embora Brown não tenha trazido nenhuma tocha com ele, poderia, no entanto, ver tudo naquela sala com sua visão normal. A sala estava bem iluminada, mas nenhuma fonte de luz direta era visível. A atenção de Brown foi atraída para uma haste metálica de bronze de três polegadas de diâmetro pendurada do ápice do centro da sala e tendo no final anexado uma pedra/joia vermelha multifacetada, que apontava para o ponto central abaixo.

Diretamente abaixo do bastão com a gema, localizado no centro da sala, havia um pilar de pedra esculpida encimado por um prato de pedra trabalhado nas bordas. No prato havia um par de mãos esculpidas em metal cor de bronze, em tamanho natural, que pareciam enegrecidas e queimadas, como se tivessem sido submetidas a um calor tremendo. Aninhada nessas mãos, situadas quatro metros diretamente abaixo do ponto do teto com a haste com a gema vermelha, estava uma esfera de cristal de quatro polegadas de diâmetro.




A esfera de cristal encontrada pelo Dr. Brown, com imagens de Pirâmides dentro.

Brown tentou soltar a vara do teto com a pedra preciosa vermelha, mas ela nem se mexeu. Voltando para a esfera de cristal, ele descobriu, para sua surpresa, que ela poderia ser facilmente separada das mãos de bronze que a seguravam e a pegou. Em seguida, com a esfera de cristal na mão direita, ele tomou o caminho para fora da pirâmide. Quando ele partiu com a esfera, Brown sentiu uma presença invisível e ouviu uma voz dizendo-lhe para "nunca mais voltar ao local"!

Voltando aos Anos 5000

Dos chineses é dito que possuem alguns dos documentos mais velhos e mais antigos conhecidos pelo homem. Mestre Li Hongzhi no Zhuan Falun é dito ter uma explicação para a descoberta de uma civilização pré-histórica da seguinte forma:

“Na terra há os continentes da Ásia, Europa, América do Sul, América do Norte, Oceania, África e o continente da Antártica, que os cientistas em geologia, em geral chamam de 'placas continentais’. Desde que a formação das placas continentais até seakrang, já existem dezenas de milhões de anos de história. Pode se dizer também que muitas massas de terra emergiram do fundo do oceano ao topo, há também um monte de terra que afundou para o fundo do mar, uma vez que esta condição se tornou estável como a situação é agora, já há história de muitas dezenas de milhões de anos. Mas em muitos locais no fundo do mar tem sido encontrada uma série de grandes edifícios altos com requintadas esculturas, e que não são do patrimônio cultural da humanidade moderna, por isso certamente esses edifícios foram construídos em terra antes de eles irem para o fundo do mar".

Visto deste ângulo, o mistério das pirâmides no fundo do mar foi resolvido. Nós estamos simplesmente vendo os resultados de um evento cataclísmico em terra mudando o que resultou no nível do mar se elevando e muitas civilizações costeiras (e em ilhas) foram perdidas. Os cientistas sabem mais sobre a superfície da lua, do que eles nos fazem crer sobre as profundezas dos oceanos da Terra. Talvez devêssemos seguir o exemplo de James Cameron, e começar a fazer mais perguntas sobre o que realmente esta lá - talvez devêssemos até mesmo explorar por nós mesmos. Ver vídeo de James Cameron, criador do filme AVATAR aqui: http://youtu.be/iGWuxFhZDGc


Até a próxima, e vamos continuar pesquisando, meus Amigos!

Zach Royer, Proprietário - Apparentlyapparel

Before Its News ID #48779 - Encontre-nos no
Facebook , Youtube


Permissão concedida para voltar a postar este artigo com um link para Aparentemente Apparel.com , por favor e obrigado!



A descoberta é sensacional, e foi discutida em uma conferência na Flórida, e mesmo relatada nos jornais locais da Flórida

Update acima:
Esta imagem foi localizado após este artigo ter sido publicado ... graças a Abhie e TFD de Godlikeproductions.com Fórum .. uma grande discussão sobre este artigo pode ser encontrado em:
(
http://www.godlikeproductions.com/forum1/message1822222/pg1)

{n.t. Nos registros de um antiguíssimo Templo budista em Lhasa, no TIBET, há para ser visto uma antiga inscrição caldéia inscrita cerca de 2.000 anos a.C. (ou mais antiga ainda...) onde se pode ler:
"Quando a estrela Baal caiu sobre o lugar onde agora é só mar e céu, as sete cidades com suas portas de ouro e seus templos transparentes tremeram e balançaram como as folhas de uma árvore na tempestade. E eis que um dilúvio de fogo e fumaça surgiu a partir dos palácios, a agonia e os gritos da multidão preencheram o ar. Eles procuraram refúgio em seus templos e cidadelas e o sábio Mu, o hierático sacerdote de Ra-Mu, se levantou e lhes disse:
“Será que eu não previ tudo isso”?

E as mulheres e os homens em suas roupas brilhantes e pedras preciosas se lamentavam:
"Mu, salve-nos."
E Mu respondeu:
"Vocês morrerão junto com os seus escravos e suas riquezas materiais e de suas cinzas surgirão novas nações. E se eles também se esquecerem que são superiores, não por causa do que eles usam ou possuem, mas do (bem e a Luz) que eles colocarem para fora de si mesmos, a mesma sorte vai cair sobre eles!"
As chamas e o fumo sufocaram as palavras de Mu. A terra das sete cidades e seus habitantes foram despedaçados e engolidos para as profundezas do oceano revolto em poucos dias”.}



domingo, 1 de julho de 2012

Uma oração para transformar as situações mais críticas da Terra

Quando tudo no mundo parecer perdido, ore

"...Como a situação planetária é sobretudo uma questão de mau uso da consciência, afirmar que a energia divina descerá sobre todas as consciências abre a possibilidade para que um dia se redimensione o desequilíbrio gerado pelos homens..."


Há pontos fundamentais do desenvolvimento humano que procuramos tocar para recapitularmos leis espirituais menores esquecidas em nossa vida diária.

No campo do amor, que é a Lei Básica do Universo, estamos longe de corresponder ao sentimento fraterno. O equilíbrio da situação não será solucionado por um ou outro indivíduo bem-intencionado. Dependeria, sim, de uma conscientização geral na humanidade e também do carma de certos grupos humanos. Mas os que se destinam a estimular o surgimento de uma nova humanidade na terra futura podem ir se preparando para buscar uma maior igualdade entre os seus irmãos da raça humana.

Fala-se em fraternidade e amor ao próximo; no entanto, convive-se com uma desequilibrada distribuição de bens e, o que é mais grave, de bens naturais que ainda não temos a menor intenção de repartir.

Sobre a questão do alimento e da verdadeira origem da fome em grandes partes do mundo, já tivemos oportunidade de refletir. Hoje trazemos um dado inconcebível, que diz respeito à distribuição e ao uso da água, que é uma doação da natureza aos reinos existentes no planeta. Essa dádiva da natureza, que seria para todos, é consumida de forma desproporcional entre os seres humanos que se dizem irmãos e filhos de Deus.

Promovemos um tipo de organização geográfica e social e com ela pactuamos sem o menor peso na consciência. Nos países considerados desenvolvidos - líderes em comércio, economia e política - estima-se que o consumo diário de água seja de 560 litros por pessoa. Já nas regiões consideradas muito pobres, esse consumo é de 10 a 20 litros por pessoa. De 560 para 20 temos uma diferença que pode ser considerada inacreditável. Em partes da África e regiões desérticas, cada ser humano consome, segundo estatísticas oficiais, menos de 10 litros, quando não vivem em áreas quase totalmente secas. São números que constrangem as pessoas mais sensíveis porque retratam o desequilíbrio de bens naturais na humanidade e o desperdício em lugares tidos como civilizados. É óbvio que temos de considerar o carma das regiões e dos seus habitantes, mas todo ser humano que tenha aberto os olhos na direção da fraternidade sente-se tocado por essas notícias.

Temos visto que, diante de algumas situações planetárias e humanas, só resta orar, e teríamos de repetir isto: resta orar. Se estamos diante de uma realidade que só por um milagre ou por uma profunda transformação planetária se poderia resolver, teríamos de nos adaptar o mais harmoniosamente possível diante da iminente transição pela qual se espera que o planeta passe e na qual as situações serão imprevisíveis.

Temos sido orientados por irmãos maiores da Hierarquia a orar de forma especial, tendo fé de que as nossas orações são poderosas e de resultados imprevisíveis. Apresentamos uma afirmação para ser repetida nos momentos de interiorização, especialmente por aqueles que oram: "O mundo é transformado pelas orações vitoriosas, e a misericórdia divina desce sobre todas as consciências".Como a situação planetária é sobretudo uma questão de mau uso da consciência, afirmar que a energia divina descerá sobre todas as consciências abre a possibilidade para que um dia se redimensione o desequilíbrio gerado pelos homens. Que assim seja.

Trigueirinho

Publicado no Jornal OTEMPO em 01/07/2012

Para aprofundar no tema ou para conhecer outras mensagens recentes do autor, acessar www.comunidadefigueira.org.br ou www.irdin.org.br



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...