Pesquisar este blog

Translate

segunda-feira, 30 de abril de 2012

O BANQUETE DOS DEUSES

 
 
Vi em meu sonho uma grande mesa posta em uma grande montanha, cujos longínquos topos estavam cobertos de neve, e brilhavam com uma intensa luz. Ao redor da mesa estavam doze pessoas, seis homens e seis mulheres, alguns dos quais eu reconheci imediatamente, outros apenas os reconheci mais tarde. Aqueles que reconheci imediatamente eram Zeus, Hera, Palas Atena, Apolo e Ártemis. Reconheci-os pelos símbolos que usavam.

A mesa estava coberta por muitas variedades de frutas, de grande tamanho, incluindo nozes, amêndoas e azeitonas, com finas tortas de pão, e taças de ouro nas quais, antes de beber, cada divindade colocava dois tipos de liquido, um dos quais era vinho, e o outro água. Enquanto eu olhava de pé sobre um degrau baixo que conduzia até a mesa, fui surpreendida ao ver que Hera me olhava fixamente e que dizia:

"Que vê ali ao final da mesa?" E respondi: "Vejo dois lugares vazios".

Então ela me falou novamente, dizendo:

"Quando forem capazes de comer de nosso alimento e de beber de nossa taça, também poderão sentar-se e comer em nossa companhia".

Ela não tinha terminado de dizer essas palavras quando Atena, que estava sentada em frente a mim, acrescentou:

"Quando forem capazes de comer de nosso alimento e beber de nossa taça, então poderão saber como vocês são conhecidos".

Imediatamente Ártemis, a quem reconheci pela Lua sobre sua cabeça, continuou:

"Quando forem capazes de comer de nosso alimento e de beber de nossa taça, todas as coisas se tornarão puras, e vocês se tornarão em virgens".

Eu disse, então: "Oh imortais, qual é seu alimento e qual é sua bebida, e como suas reflexões diferem das nossas, de modo que se nós não comermos carne nem sangue, possamos ter lugar em suas mesas?".

Então, um dos Deuses, que nessa ocasião eu não conhecia, mas que logo depois reconheci como Hermes, levantou-se da mesa, e veio a minha direção e colocou em minhas mãos um ramo de figueira com um fruto maduro, e disse:

"Se quiserem ser perfeitos, e para serem capazes de conhecer todas as coisas, abandonem com rapidez a heresia. Deixem que o fogo lhes proteja, e os dêem conforto externamente - isto é um presente dos céus. Mas não pervertam em seu justo propósito, como o fez aquele traidor de sua raça, para encher as veias da humanidade com seu contágio, e para consumir o seu interior com seu sopro. Todos vocês são homens de barro, como era a imagem que foi feita como molde. Vocês se alimentam com fogo roubado, e este os consome. De todas as boas utilizações dos bons presentes do céu, nenhuma é tão má como o uso interno do fogo. Pois os mantimentos e bebidas quentes têm lhes consumido e secado o poder magnético dos seus nervos, selando seus sentidos, e cortando suas vidas. Vocês desse modo não vêem nem ouvem, pois o fogo em seus órgãos consome seus sentidos. Vocês são todos cegos e surdos, criaturas de barro. Enviamos-lhes um livro para ser lido. Pratiquem as normas, e seus sentidos se abrirão."

Então não reconhecendo naquela ocasião, eu disse: "me diga seu nome, Senhor".

Nesse momento Ele riu e respondeu:

"Andei contigo desde o começo. Sou a nuvem branca ao meio-dia".

"Então", perguntei, "desejas que todo mundo abandone o uso do fogo na preparação de mantimentos e bebidas?"

Ao contrário de responder minha pergunta, Ele disse:

"Nós mostramos o melhor caminho. Dois lugares estão vazios nesta mesa. Mostramos-lhes tudo o que poderia ser mostrado no nível em que se encontram. Mas nossos presentes perfeitos, os frutos da Árvore da Vida, estão além de vosso alcance neste momento. Não podemos dar esses presentes a vocês até que estejam purificados e tenham alcançado um nível superior. As condições são de Deus, a vontade é lá com vocês."

Estas últimas palavras pareciam ser repetidas vindas do céu em cima da cabeça, e também debaixo de meus pés. E naquele momento caí de uma grande altura, como se tivesse sido alcançada por um meteoro, e com a velocidade e o choque despertei.


Hinton, setembro de 1877
Anna Bonus Kingsford
(Teósofa Inglesa)



quinta-feira, 26 de abril de 2012

A História do DNA e da Raça Humana, Final



Esta canalização ao vivo foi dada em Portland, Oregon, EUA em 29 de agosto de 2009. Para ajudar o leitor, esta mensagem foi re-canalizada [por Lee e Kryon] e complementada, para permitir um entendimento mais claro. Geralmente as canalizações ao vivo têm uma energia implícita que carrega um tipo de comunicação que o texto escrito não traz. Então aproveite esta mensagem melhorada, transmitida em Portland, Oregon.


Lee Carrol

Saudações, queridos. Eu sou Kryon do Serviço Magnético.

A CRIAÇÃO DA SUA “QUANTICIDADE”… O CRIADOR EM VOCÊ: Aqui está a história, descrita em linguagem franca, de forma que todos possam vê-la, ouvi-la e conhecer todos os seus atributos que devem ser conhecidos. Há cem mil anos atrás, existiam aproximadamente 17 espécies de Seres Humanos em desenvolvimento no planeta. Assim com a natureza requer uma variedade em relação a outros animais e mamíferos, Gaia também provia uma variedade para a subsistência da espécie humana. Assim como existem dezenas de espécies de macacos e uma tremenda variedade de tantos outros animais no planeta, a variedade de seres humanos também estava em andamento. Mas, se observarem, existe apenas um tipo de Ser Humano hoje. Oh, existem cores diferentes e uma variedade de atributos faciais, mas apenas um tipo. Não existem as diferenças típicas que encontramos na natureza. Vocês não têm tipos com caudas e tipos sem. Vocês não têm Seres Humanos minúsculos e cabeludos em um continente, ao lado dos gigantescos e pintados em outro. Alguma coisa aconteceu.

Voltem comigo 100.000 anos atrás e verão isto documentado pela ciência, que descobriu esta anomalia durante a última década. Eles estão vendo a mesma coisa. Contrariamente a todas as forças evolutivas, alguma coisa aconteceu que criou apenas uma espécie de Ser Humano, e isto ocorreu há aproximadamente 100.000 anos atrás. Agora, preparem-se, pois alguns de vocês que estão ouvindo e lendo isto não vão gostar. Esta foi a palestra de hoje do meu parceiro, e vou dá-la de novo àqueles cujos olhos estão sobre estas páginas, ou cujos ouvidos estão escutando esta transcrição. Ouçam: uma coisa linda aconteceu… linda! Algo aconteceu propositadamente, e vocês estavam esperando por isto comigo, quando estavam criando este planeta, queridos. Quando estavam comigo observando-o resfriar-se, vocês sabiam que isto aconteceria. Um plano divino estava em curso.

Na nossa própria galáxia, chamada Via Láctea, existe um agrupamento de estrelas chamado Sete Irmãs. Ele representa sete estrelas, uma das quais (ELECTRA) tem uma série de planetas dispostos à sua volta. Vocês têm chamado essa disposição de estrelas de PLÊIADES, e os seres que SÃO e vêm desse sistema solar de Pleiadianos. Foram estes que (também) visitaram a Terra há cerca de 100.000 anos atrás (N.T.- O projeto de NIBIRU já estava implantado na SUMÉRIA nesse momento), e eles não demoraram muito para chegar até aqui).

{Nota: Uma citação de Sharmarie, o marciano em sua narração de suas vidas no livro "THROUGH ALIEN EYES” (Através de Olhos Alienígenas): "Desta vez, meu local de nascimento foi o segundo planeta do sol/estrela Cardovan, denominado Mollora. Essa estrela é a terceira (ELECTRA) maior em brilho das sete estrelas por vocês denominadas como as PLÊIADES. O nome Cardovan significa em nosso idioma “Estrela de Carr.” Não se trata do nome que lhe foi dado pelos naturais de Mollora ou de outros planetas deste sistema. Nós a chamamos de Estrela de Carr porque o Zone-Rex (uma espécie de Rei) marciano Rancer-Carr trouxe, com o auxílio da FEDERAÇÃO GALÁCTICA, centenas de milhares de marcianos para este sistema solar depois da destruição de MALDEK para que eles pudessem sobreviver. Como sabem, Marte se mudou para uma órbita muito mais distante do sol do que sua órbita original, o que o tornou inabitável para qualquer forma de vida e nós marcianos tivemos que nos mudar."}

Essa raça Humanóide é semiquântica, assim como vocês. Isto quer dizer que, na consciência desses seres, há uma combinação de tridimensionalidade e “quanticidade”. Não existe nenhum tempo, não existe nenhum espaço, não existe nenhuma distância. Eles tiveram vontade de chegar aqui e aqui apareceram. É uma raça adiantada e espiritualizada, que é espiritualmente graduada em (MÃE) NATUREZA. Isto não vai fazer sentido para vocês, já que está fora do sistema espiritual que vocês pensam que é real. Então vamos dizer simplesmente que a espiritualidade deles é madura, bonita e totalmente apropriada. Eles chegaram aqui no momento certo, intencionalmente e com um propósito.



O nosso sistema solar orbita o Sol Central das PLÊIADES, Alcyone (a maior e mais brilhante estrela na foto) dando uma volta completa (um ANO SOLAR) a cada 25.920 anos, sendo que a data de 21 de dezembro de 2012, FINAL do Calendário MAIA marca o final de um desses anos solares. Em astronomia também é conhecida como o Aglomerado estelar aberto M-45, as Sete Irmãs, a Constelação das PLÊIADES, com os sóis/estrelas principais de Alcyone, Maia, ELECTRA, Taygeta, Atlas, Pleyone, Celaeno, Asterope e Merope.

Eles vieram para plantar as sementes do DNA quântico e divino em um dos 17 tipos de Seres Humanos que estavam em desenvolvimento na Terra. Eles permaneceram aqui o tempo que foi preciso. É interessante saber que foram necessários 100.000 anos e que eles permaneceram aqui. Lentamente, todos os outros tipos de Seres Humanos se extinguiram e só um sobrou… o tipo com as sementes do criador. O tipo que existe hoje.

Esta é a história original e divina da criação, transmitida de propósito a vocês pelo Espírito, de uma forma linda. Foi um momento sagrado e eu gostaria de lhes dizer, queridas almas que estão aqui, que muito antes da Lemúria, quando vocês olhavam para este cenário em potencial, vocês sabiam que era bom. Intuitivamente, vocês sentem isto e sabem, pois estão firmemente relacionados com aquele outro sistema estelar (Plêiades) que lhes deu este maravilhoso presente.

Os Pleiadianos são irmãos e irmãs como vocês. Eles não têm pele de lagarto; não têm braços e pernas estranhos, nem olhos engraçados nem cabeças imensas. Eles não têm nenhum plano e não estão controlando o pensamento Humano. Eles são um pouco mais altos, mas se parecem muito com vocês! Chegará o dia, quando for apropriado e correto, em que eles se mostrarão. Não será nesta encarnação, pois eles estão esperando por uma vibração específica do planeta. Mas, quando eles chegarem para saudá-los, sairão das suas naves e serão exatamente iguais a vocês! Então vocês saberão que o que eu digo aqui é exato e verdadeiro, pois eles estão observando-nos enquanto lhes transmito esta mensagem, e estão sorrindo contentes por ela estar sendo oferecida tão apropriadamente para aqueles que precisam ouvi-la desta forma.

Escutem-me: não existe nenhuma conspiração aqui. Ninguém fez nada para a Terra nem para a humanidade, que vocês não tenham planejado. Não existe nenhuma forma de controle aqui e nada está oculto. Intencionalmente e com um propósito, o Espírito permitiu e solicitou que eles viessem e lhes dessem este presente. O único planeta de livre-arbítrio mudou-se do sistema Pleiadiano para este sistema solar e literalmente para a Terra. Lentamente os seres biológicos ganharam seu DNA quântico, e a espiritualidade nasceu. Nada acontece rápido com Deus, já perceberam? Deus é vagaroso e a Terra é paciente. Mas os Seres Humanos têm problema com o conceito de “lentidão”. Eles querem que as coisas espirituais aconteçam rapidamente, e a mitologia mostra isto.

Esta informação é controversa, e aqueles que estão ouvindo e lendo isto não precisam acreditar nela. Esta informação não é imprescindível para que a luz de vocês brilhe na Terra. Se não parecer verdadeira para a sua alma, então a deixem de lado. Mas entendam que de alguma forma Deus existe em vocês. Talvez não seja necessário que saibam como, mas sintam o criador trabalhando no seu DNA. A controvérsia pode causar raiva e não deve ser forçada a ninguém. Ela não é evangélica, é só para que possam vê-la como parte do quadro maior. Mas foi daí que veio a sua semente biológica e eu acabei de lhes dar a verdade.

Por estranho que pareça, sempre haverá aqueles que desejam seguir a mitologia segundo a qual Deus veio rapidamente à Terra e em poucos dias apresentou todo o sistema espiritual ao planeta. Eles realmente não querem pensar que a história assustadora de extraterrestres que vieram para a Terra possa ter alguma coisa a ver com Deus, nem com a natureza espiritual do Ser Humano. Isto é ridículo para eles! Como meu parceiro diz: “Eles gostam (os religiosos) da estória da serpente falante ...” Então é isto que eles devem ter, pois a história oculta não deve ser algo que mantenha um Ser Humano distante da sua fé nem que lhe leve embora a sua crença (embora ela faça o ser humano evoluir espiritualmente).

LEMÚRIA:

Lentamente nasceu a primeira civilização do planeta, e ela se chamou Lemúria. Saibam disto: ela não era uma civilização adiantada, segundo o conceito que vocês têm de “adiantada”. Mas os lemurianos tinham uma coisa da qual vocês deveriam saber. O DNA quântico deles funcionava com 90% da sua capacidade, e não com 30% como o de vocês funciona hoje. Toda a “quanticidade” do DNA deles estava ativada, pois foi isso que os pleiadianos passaram para eles. Lemúria foi a civilização mais antiga do planeta, a que durou mais tempo e que nunca viu guerra.

Ela acabou se extinguindo apenas porque os oceanos e mares se elevaram. Como já lhes descrevi antes, os lemurianos tornaram-se um povo de navegantes e se dispersaram por muitas partes da Terra.

Ironicamente, alguns chegaram a continentes tão distantes, que a ciência os considera originários desses lugares, em vez de vindos de algum outro.

Os lemurianos constituíram a sociedade Humana original deste planeta, e estavam localizados no lugar onde os pleiadianos aterrissaram originalmente, no topo da montanha mais alta da Terra, medida da base ao cume… atualmente, a maior ilha do Havaí, onde as “canoas” lemurianas estão enterradas. Hoje os havaianos mais velhos contam que essa é a linhagem do Havaí, que os pleiadianos chegaram ali, pois é o que eles ensinam sobre como a humanidade começou.





Mauna Kea, na Ilha do Havai, arquipélago do Havaí, é um vulcão extinto. É o ponto mais elevado do arquipélago e o 15.º mais proeminente do mundo. No entanto, o Mauna Kea é a montanha mais alta do mundo se levarmos em consideração a medição desde a base até ao pico - tem 10 203 metros a partir do fundo do oceano Pacífico (5998 metros abaixo da superfície, e 4205 metros acima). Mauna Kea significa "Montanha Branca" no idioma havaiano, uma referência ao seu cume sendo regularmente coberto pela neve no inverno. Encontra-se extinto. A última erupção terá ocorrido há cerca de 4500 anos. No seu topo encontra-se um observatório astronômico.

Os lemurianos tinham uma compreensão quântica da vida, e conheciam, no seu DNA, tudo sobre o sistema solar. Um DNA quântico, funcionando a 90%, cria uma consciência que é una com o universo. Uma das suas crenças espirituais mais antigas diz para vocês serem unos com tudo. Não é por acaso. Falarei sobre isso logo mais. Os restos da Lemúria desapareceram, cobertos pela água, há muito tempo atrás. Vocês não terão prova disto, pois a natureza enterrou-os completamente e agora só estão disponíveis para serem sentidos nos lugares que eram Lemúria, mas nunca foram cobertos pela água. E se por acaso algum de vocês for a um desses lugares com intenção pura, os ancestrais o procurarão e dirão: “Bem-vindo ao lar”.

Eis aqui alguns conselhos históricos: não dêem tanta atenção à Atlântida. A Atlântida apareceu muito, muito mais tarde, e na verdade existiam três delas e muita confusão sobre o que havia lá e o que aconteceu lá. Sobre qual delas vocês gostariam de conversar? A Atlântida nem sequer chegou perto do papel que os ensinamentos metafísicos e esotéricos querem lhe atribuir. Oh, ela foi importante, mas uma delas não é nada antiga!!! É tão recente, perto das Ilhas Gregas, que inclusive foi registrada na História dos Gregos. Seres Humanos têm um interesse dramático por civilizações que foram destruídas rapidamente. Isto cria mais mitologia, criando idéias de que Atlântida foi uma das civilizações mais adiantadas. Não foi. A Lemúria foi, mas só em consciência.

A Lemúria não foi uma sociedade tecnicamente avançada, pois não tinha absolutamente nenhuma habilidade técnica. No entanto, os lemurianos sabiam como curar com magnetismo. Estava no DNA deles, entendem? Era informação intuitiva. O DNA quântico produz informação intuitiva de qualidade. Sendo unos com o Universo, eles sabiam tudo a respeito do DNA. Todo mundo não sabe? [Kryon sorri] Eles até conheciam a forma dele… e tudo sem microscópio… É isto que o DNA quântico faz.

OS ANTIGOS SABIAM!:

Os lemurianos sabiam muitas coisas, devido ao DNA quântico que carregavam graças aos pleiadianos. Sabiam tudo sobre o sistema solar e sobre a galáxia em geral. Eles olhavam para as estrelas e entendiam o que elas eram. Isto criou uma sociedade aparentemente adiantada, mas sem nenhum avanço técnico como vocês têm.

Existe uma enorme evidência de que muito tempo depois que os lemurianos se foram, centenas de anos mais tarde, os antigos ainda tinham este conhecimento. A versão moderna da história da Humanidade não dá crédito aos 30.000 anos de existência da humanidade adiantada constituída pelos lemurianos. Mal se ouve falar de seres Humanos que existiram há 10.000 anos atrás. Isto vai mudar com o tempo e as novas descobertas (se não forem manipuladas e mantidas em segredo).

Entretanto, vocês vêem que entre 4000 e 5000 anos atrás, os antigos ainda tinham conhecimento sobre as estrelas… muito mais do que vocês podem imaginar. A maioria das civilizações antigas da Terra sabia do Alinhamento Galáctico que ocorrerá na “era de 2012”. Nós lhes dissemos que este Alinhamento Galáctico já começou. Vocês o enxergam como 2012, e nós o vemos como 1998. Façam os cálculos matemáticos com computadores e telescópios modernos e verão que 2012 é apenas uma estimativa grosseira das culturas que não tinham a sua tecnologia. Então, com isto em mente, verão que já estão na energia do Alinhamento Galáctico do qual falamos.



O alinhamento do sistema solar com o equador da Galáxia em 21 de dezembro de 2012.

Este alinhamento é um ciclo de 25.920 anos, do qual os antigos tinham conhecimento! “Como isto é possível?” – vocês poderão perguntar. Pois quando voltam apenas poucas centenas de anos na história, percebem que a “ciência moderna”(sic) perdeu totalmente este conhecimento! A Terra era plana, o sol girava em torno da Terra, e quase todo o conhecimento intuitivo a respeito do funcionamento do corpo humano tinha se perdido.

Os antigos tinham o DNA que funcionava de modo quântico, como herdado da Lemúria, sem telescópios nem computadores. Eles sabiam. Sabiam tudo a respeito do sistema solar, equinócios, eclipses e movimento planetário. Inclusive sabiam que vocês fazem parte de um grupo maior chamado galáxia. Então, lhes pergunto, o que aconteceu?! Nós lhes revelamos o óbvio, que vocês escorregaram para trás, de um modo muito significativo, e muito recentemente.

Quando falamos assim, sempre existem aqueles que querem acreditar que alguma força não humana foi responsável por “tirar o conhecimento de vocês” e deixá-los feridos. Este é o Ser Humano negando que controla a vibração da Terra. O livre-arbítrio é respeitado pelo Espírito, e o propósito de vocês estarem aqui é analisar para onde este planeta vai, dependendo do que os Seres Humanos fazem. A fragmentação da Lemúria e da sociedade Humana criou muitos caminhos para a perda daquilo que era uma consciência coletiva. Enquanto as sociedades tinham uma comunidade quântica, havia uma confluência de entendimento. Quando elas se partiram, lentamente, através do tempo, o conhecimento mais intuitivo, aceito durante séculos, simplesmente morreu.

Se duvidam disto, então como explicam que os antigos conheciam coisas que a “astronomia moderna” só lhes revelou (e muito pouco) há poucos anos? (há mais de dois séculos uma tribo de nativos no interior da África, os DOGONS, sabem que a estrela SÍRIUS da constelação do Cão Maior é UM SOL TRIPLO, o que só foi "descoberto no final dos anos 1970 pelos nossos "modernos" astrônomos.)

Foi neste processo que o DNA, que costumava estar no nível 90%, lentamente se reduziu a 30%. De fato, é isto que vocês têm hoje. Vocês literalmente começaram de novo. Vocês perderam o conhecimento quântico intuitivo, aquela intuição, aquele entendimento absoluto sobre a origem da sua semente, sobre o funcionamento do seu corpo, e a experiência pleiadiana se foi… perdeu-se.

Os Seres Humanos esqueceram a astronomia básica e nem sequer pensaram que a Terra fosse um globo. Toda aquela intuição maravilhosa sobre o funcionamento do Universo e o DNA Humano foi embora. Agora vocês têm uma mudança nas mãos, e estão lentamente se elevando do ponto em que estão hoje. Vou lhes dizer o que há de diferente hoje, e com isto teremos quase completado a conversa.

A GRANDE MUDANÇA:

A linhagem e história do DNA começaram com uma criação preciosa e apropriada, com a integridade do reino angélico e abençoada por um propósito sagrado. Através do livre-arbítrio, elas decaíram, à medida que os Seres Humanos aceitaram um estado inferior de consciência. A mitologia está repleta de estórias dramáticas sobre a “queda da humanidade”, entretanto não existem demônios envolvidos, mas apenas o processo de livre-arbítrio da humanidade.

Vocês se encontram em mudança. Vocês se encontram em uma era à qual chamam de Nova Era, mas que não é nova e sim uma lembrança do conhecimento antigo e do modo de ser dos lemurianos. Portanto, é um retorno ao estado lemuriano. E já não era sem tempo! Isto é o que vocês chamam de nova energia, e essa mudança, que está à disposição de vocês, lhes oferece dádivas que lhes permitem começar um aprimoramento da consciência neste planeta. Mas, como dissemos, isto precisa começar no interior do próprio DNA de cada um de vocês.

Oh, Ser Humano, ouça-me: este é o motivo central de você estar aqui. É isto que ensinamos hoje; que o DNA, a sua parte quântica e sagrada, está pronto para ser aprimorado com a sua intenção pura. Tudo o que Kryon lhes trouxe no serviço magnético foi para servir este planeta de um modo que o magnetismo pudesse mudar e se comunicar com o seu DNA. Esta nova comunicação é o resultado da Convergência Harmônica de 1987 em combinação com a mudança para uma nova energia de Gaia que está sendo criada pelo Alinhamento Galáctico. Isto oferece o potencial para o retorno a um estado que todos vocês merecem… um estado lemuriano de consciência, um estado em que a guerra não é uma opção e a saúde é intuitiva. Os Maias falaram disto! Esta é a vibração mais elevada que Gaia jamais viu, e vocês estão na fase de crescimento de tudo isto. Esta foi a informação que eles deixaram sobre 2012, e que não é ensinada assim por muitas pessoas.

Levem a consciência Humana a se sintonizar com essa vibração, e o DNA de vocês vai começar a aumentar sua eficiência. Ele começará a ser quântico novamente. Vocês vão começar a ver isto de muitas formas, e já falamos sobre isto também. Procurem os sinais de que os Seres Humanos estão evoluindo. Este processo de evolução está começando com o que vocês chamaram de Crianças Índigo. Estas crianças de nova consciência são muito diferentes, perceberam? Isto está relacionado com o tanto de DNA quântico elas estão usando, em contraste com quão lineares vocês são!

O confronto entre o quântico e o linear apenas começou! Se vocês pensam que existem problemas agora com as novas crianças, esperem até que elas tenham os filhos delas! Os Seres Humanos estão mudando.


O confronto entre o ser quântico e o linear esta começando.

Nesta “Nova Era”, vocês estão – potencial e lentamente – trazendo de volta uma energia original que foi projetada para hoje. Está na hora de retornarem ao estado quântico, que é o estado espiritual que os pleiadianos lhes deram. E isso começa agora. Neste momento, vocês estão participando de uma batalha na Terra entre a antiga e a nova energia, e a nova energia está vencendo. Sem dúvida a velha energia continuará com vocês por algum tempo. Ela continua criando questões que vocês vêem como problemas, mas que na verdade são “limpezas quânticas”. À medida que limparem sua economia – e vocês ainda não terminaram – verão os caminhos para um novo paradigma de ser e de estruturar, mas isto ainda vai levar algum tempo.

Não temam o resultado disto, pois ela emergirá exatamente como vocês sabiam que emergiria… uma das mais fortes da Terra, plena de integridade. Representará potencialmente um novo paradigma que faz sentido para uma nova era. Confiem nisto! E adultos índigos vão ajudá-los a desenvolver isto. Novos conceitos substituirão pensamentos existentes, e trarão uma revolução no modo de vida neste planeta.

Tudo isto faz parte da evolução da consciência Humana que vocês podem ver no seu DNA. “Kryon, um cientista poderá enxergar isto num microscópio?” Não. Independente do que lhes foi dito, eles não verão uma mudança MATERIAL no DNA. O microscópio atual é tridimensional. Então, eu digo aos cientistas: quando desenvolverem as lentes quânticas, vocês o verão, pois realmente enxergarão a química nos 90% de áreas sem sentido. Ela brilhará sob a influência da “quanticidade” e vocês saberão que estou certo. Então ela mudará de cor com as ativações que vocês estão criando e vocês serão capazes de vê-la e rastreá-la. Mas neste momento, vocês não têm nenhuma lente quântica. Não existe nenhum aparelho para medir a “quanticidade” do Universo que existe no planeta, mas vocês estão chegando perto. E quando chegarem lá, a primeira revelação poderá ser vista na sua própria biologia. Aqui está outra dica: continuem examinando as coisas em um estado emaranhado, pois este é o começo do verdadeiro estado quântico que vocês podem alterar com a tecnologia tridimensional.

Estas são as coisas que queríamos trazer hoje para vocês, e estas são as questões do nosso ensinamento de hoje. Durante todo este tempo, estivemos abraçando vocês. Por que lhes trazemos estas coisas? Por que nos importamos com vocês? Porque, como família, vocês estão começando a descobrir um grande segredo… que a essência de suas almas está relacionada com o Universo, e que o Eu Superior de vocês é angélico e eterno. A Humanidade está começando a fechar o círculo. Muito devagar, e através das três próximas encarnações, vocês realmente poderão criar uma nova Terra. Estes são os potenciais dos quais lhes falei há cerca de 20 anos atrás.

Vocês não poderiam perder isto, queridos Seres Humanos. É por isso que estão lendo isto. Vocês fazem parte da solução para a paz na Terra. Eu os conheço. Haverá uma certa porcentagem de leitores e ouvintes que virão ver-me nos próximos anos. Haverá uma transição que não é novidade para vocês. É uma transição de vida, que é apropriada e bela! Para almas antigas, é algo que já fizeram muitas vezes, tantas que nem conseguem contar. E vocês voltarão ao planeta depois disso, e voltarão mais uma vez, porque não querem perder isto! Vocês passaram éons trabalhando neste planeta e não vão perder isto!

Esta é a mudança que vocês pediram, esperaram e pela qual rezaram. Muitos que estão nesta sala deixarão suas vidas normais, mas voltarão com um nível mais elevado de eficiência do DNA. Voltamos a dizer: se quiserem ver a evolução Humana, observem essas crianças Índigo, pois elas vão se desenvolver num grupo ainda mais frustrante do que o que formam hoje! E alguns de VOCÊS serão ELAS, quando retornarem. [Kryon sorri] Eu não diria estas coisas se não fossem exatas e verdadeiras. Vejam a clareza do canal hoje. Que cada um sinta, com sua sensatez inata, a verdade de tudo isto. Conscientizem-se de que são muito amados. Esta é a razão de estarmos aqui.

Metaforicamente recolhemos as bacias de lágrimas de alegria que derramamos, enquanto lavamos os seus pés. Convidamos vocês, que estão nesta sala conosco, a continuar com esta energia do Espírito. Deixem-nos sentar com vocês por um instante, antes de se levantarem para ir embora. Que todos saibam que hoje o Espírito realmente esteve aqui… para encontrar o irmão e a irmã, para lavar seus pés com respeito por nos permitirem fazer uma coisa destas… para estar com vocês por uma hora e para amá-los como estamos amando. E agora vocês conhecem o nosso segredo. Todo este encontro foi organizado apenas para podermos sentar aqui com vocês. E nós fizemos isto!

E assim é. KRYON



Thoth3126@gmail.com

terça-feira, 24 de abril de 2012

O Paraiso Perdido


"...os anjos caídos não eram, na verdade, demônios, mas arautos da liberdade. Nesse sentido, a rebelião dos anjos não passa por ser um pecado contra a ordem de Deus, mas sim um evento glorioso..."


"...E a queda do homem não é uma desgraça, mas sim uma oportunidade dele se exaltar..."





A idéia de existência de um paraíso, de onde um dia a raça humana foi expulsa é um arquétipo compartilhado praticamente por todos os povos da terra. Em todas as tradições dos povos antigos remanescem memórias desse lugar fantástico, onde o mal não existia, e a dor e o sofrimento eram experiências desconhecidas do ser humano.




Porém, o livro que tornou esse mito um best-seller entre as memórias arquetípicas da humanidade foi a Bíblia hebraica. Esse portentoso livro, que segundo a crença judaico-cristã, foi ditada pelo próprio Deus aos seus sacerdotes e profetas, ou que segundo os historiadores céticos, é uma compilação muito bem organizada de lendas e narrativas antigas, feita por uma ou duas gerações de rabinos judeus,é o primeiro livro a dar uma descrição pormenorizada desse lugar de delícias, onde Deus colocou a sua criatura mais bem elaborada para viver uma vida de eternos prazeres.



Literalmente, o Eden seria um lugar existente na terra mesmo, e bem real. Seria um jardim plantado lá pelas bandas do Oriente, talvez próximo da foz do rio Eufrates, segundo indicações da própria Bíblia, que diz que dele saia uma fonte que dava origem a quatro rios, sendo dois deles os nossos conhecidos Tigre e Eufrates, rios que banham a antiga terra chamada Mesopotâmea (hoje Iraque) e deságuam no Golfo Pérsico. Alguns arqueólogos até pretendem ter desenterrado o Éden nas escavações do sitio chamado Gobekli Tepe. A tese dos arqueólogos que desenterraram Goblekli Tepe é a de que a famosa expulsão do paraíso, narrada na Bíblia, foi talvez a destruição desse local, ocorrida em razão do Dilúvio, outra memória que também é conservada pela maioria dos povos da terra e também convenientemente adaptada e narrada na Bíblia judaica com fins claramente político-ideológicos.



De qualquer modo, a expulsão do casal humano do paraíso é um dos temas que mais aparecem nas narrativas religiosas e mitológicas da humanidade. Da Babilônia ao Império Asteca, todos os povos lembram que um dia o homem teve um contato direto com Deus e suas criaturas celestes, e que esse contato foi cortado violentamente em razão de uma “trairagem” cometida pelo homem, iludido que foi pelo arquiinimigo de Deus, o antigo arcanjo Satan, que brigou com Ele e se tornou seu grande opositor.



A história dessa guerra celeste, que opôs Deus e seus anjos contra as hostes reunidas por Satan, ou Satanás, não foi contada com pormenores na Bíblia. Ela apenas faz algumas parcas referências a esse conflito, dizendo que ele ocorreu e separou a população angélica em duas facções distintas, que se tornaram, de um lado, anjos do bem e do outro lado, anjos do mal.



Anjos e demônios passaram a ser os dois poderes disputantes das estruturas universais, com tudo que elas encerram. Quem desenvolveu esse tema com riquezas de detalhes e uma interpretação muito bem bolada do assunto foram os mestres que desenvolveram a grande tradição da Cabala. É nesta antiga tradição que encontramos os reais significados das narrações bíblicas e topamos com a verdadeira história dessa guerra travadas nos céus entre as hostes angélicas e seus oponentes demoníacos, pela posse da alma do homem e do próprio universo enquanto obra de criação. É uma verdadeira epopéia, semelhante á Iliada e a Odisséia, dos gregos, ou a Mahabharata, a grande saga dos heróis arianos, que narra a guerra dos clãs pelo controle do país dos brâmames.



Nesse conflito repousa a estrutura universal, oscilante entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas, entre a matéria e o espírito. Talvez a mais antiga (e perfeita) concepção dessa dialética seja aquela pensada por Zoroastro (ou Zaratustra, o grande sábio persa) há cerca de quatro mil anos atrás quando intuiu que o mundo era um resultado do embate entre o deus da luz (Ormuz) e o deus das trevas (Arimã). Nessa concepção se inspiraram todas as demais, de forma que, ao que parece, foi Zaratustra quem inventou (ou descobriu) a briga entre Deus e Satã pelo controle do mundo, e de quebra inventou o paraíso. (Não por acaso no Golfo Pérsico).



Cá entre nós, uma das mais belas narrativas a respeito desse tema foi feita pelo poeta inglês John Milton, em 1677. No seu longo poema, escrito á moda clássica, ele narra o confronto entre Deus e Satanás, no qual um terço dos anjos são expulsos do céu e trancafiados, como prisioneiros, em um campo de concentração, que nesse caso, é o inferno. Ali, liderados por Satã, secundado pelo seu lugar-tenente Lúcifer, os danados tramam sua vingança. Como não poderiam atacar diretamente o céu devido ao poder de Deus e do seu Filho (O Cristo) e das Hostes Celestiais, comandadas pelo arcanjo Miguel, os anjos caídos apelam para outra estratégia.



Assim, ao invés de enfrentar abertamente as forças celestes, eles resolvem desencaminhar a criação humana, o “xodó” do Criador, feita à sua imagem e semelhança. “Se não podemos vencê-lo," deve ter pensado Satanás, “vamos pelo menos aborrecê-lo”, Assim, o chefe dos demônios empreende uma longa viagem do inferno à terra e se apresenta a Eva, na forma de uma serpente e a seduz, induzindo-a a comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Eva cai na lábia do demônio travestido de réptil, come o fruto e depois leva seu marido Adão a comê-lo também, completando assim o ato de desobediência para com o seu Criador, que os havia proibido de comer do fruto daquela árvore.



Deus se vinga dos pérfidos desencaminhadores transformando-os em asquerosos répteis durante mil anos. Nascem desse ato os lagartos, os dragões, as salamandras, os sáurios, os crocodilos e jacarés, os calangos e toda classe de animais que se arrastam pela terra sobre seus próprios ventres. E quanto ao homem, tolo desencaminhado, embora sem maldade, cabe-lhe a culpa "in vigilando" por não ter vigiado eficazmente a sua mulher e por ter caído em sua lábia. Expulso desse lugar de delícias que era o Eden, terá que trabalhar arduamente para ganhar a vida; e quanto á mulher, terá que suportar as dores do parto para ter seus filhos.



Quem quiser entender o Paraíso Perdido de Milton terá que fazer uma pequena incursão pela história da Inglaterra na época em que essa monumental obra literária foi escrita.
 
Estávamos em fins do século XVII (1677), época mais intensa dos conflitos dinásticos e religiosos que mudaram a face da civilização ocidental. A Inglaterra estava vivendo o rescaldo da guerra entre a realeza e o Parlamento, conflito esse que acabou custando a vida do rei Carlos I, decapitado por ordem do Parlamento, chefiado pelo pastor conservador-fundamentalista Olivério Crommwel.



A Inglaterra teria, nesse episódio, um breve período de experiência republicana, mas a tradição da monarquia é um arquétipo tão entranhado na psique do povo inglês, que a simples eliminação do monarca não aplacou o conflito e ele logo voltaria a sacudir a nação inglesa. Em conseqüência, a monarquia também logo seria reconstituída.
 
Esse foi o pano de fundo para a magistral adaptação que John Milton fez do mito bíblico para figurar um momento da história que estava sendo vivido pelo mundo ocidental justamente naquela época. Milton era católico e apoiava a revolução puritana. Chegou mesmo a trabalhar no ministério de Crommwel.

 
A Europa toda vivia um momento de intensa ebulição espiritual, com as doutrinas reformistas que ganhavam terreno em todas as classes sociais.Com as guerras religiosas começou o êxodo dos puritanos (os protestantes mais ferrenhos) para a América, que era pintada na mídia da época como sendo a nova terra da promessa.
 
Uma surda guerra intelectual era traçada nos meios de comunicação pela posse da alma humana. De um lado os portadores da promessa de um novo mundo para aqueles que se convertessem às novas idéias propostas pelos reformistas (e pelos iluministas que já nessa época iniciavam a divulgação dos seus postulados) e de outro os partidários da antiga ordem (o catolicismo e o anglicismo reformado), que contra atacavam com a Inquisição e as ameaças de uma eterna condenação para aqueles que se afastassem da verdadeira fé. Era, portanto, um mundo de conflito, tanto na política quanto na religião.



Por outro lado, o fim do século XVII é a época em que mais intensamente as chamadas doutrinas ocultas seduziram o espírito dos intelectuais. É dessa época o fenômeno Rosa-Cruz, genial farsa intelectual perpetrada por filósofos ocultistas (na maioria alquimistas) para dar ao mundo a ilusão de que eles eram os depositários de um segredo capaz de levar a humanidade de novo ao paraíso perdido. É desse tempo a maioria das obras literárias que versam sobre a utopia política, social ou meramente filosófica. É nesse tempo, finalmente, que nascem as associações, como a Real Sociedade, antecessora da maçonaria, cujo objetivo era a realização (espiritual e física) desse sonho do homem, que era a volta ao paraíso.



Na obra de Milton há tudo isso. Desde a exaltação, pura e simples, da concepção católica do pecado original (a idéia de que o homem já nasce pecador em função do pecado de seus pais originais Adão e Eva e por isso precisa praticar na obra de expiação para poder ser salvo), até a idéia central do Cristianismo, que é a salvação da humanidade através do sacrifício de Jesus Cristo.
 
Mas há também uma curiosa concessão às teses heréticas, muito a gosto dos opositores da Igreja na época, para quem a rebelião de Satanás (ou Lúcifer, segundo a Cabala, já que nessa tradição ambos são uma mesma entidade), representa um grito de liberdade de um grupo oprimido contra um Senhor cruel e opressor. Pois era assim que algumas seitas, consideradas heréticas, viam o Deus bíblico. E nessa concepção, Jesus também era um líder que lutou contra essa opressão. Por isso o verdadeiro Cristianismo passava ao largo tanto do catolicismo quanto do protestantismo. Dessas concepções nasceram doutrinas originais como as dos mórmons, dos amishs, das igrejas reformistas que se afastaram do protestantismo histórico. Para eles, tanto a Igreja Católica quanto os reformistas protestantes nada mais faziam do que defender uma doutrina que havia contribuído para escravizar o corpo e o espírito dos homens.



Dessa forma, os anjos caídos não eram, na verdade, demônios, mas arautos da liberdade. Nesse sentido, a rebelião dos anjos não passa por ser um pecado contra a ordem de Deus, mas sim um evento glorioso. E a queda do homem não é uma desgraça, mas sim uma oportunidade dele se exaltar. Essa idéia, Milton exprime num dos mais inspirados versos do seu grande poema, quando o Arcanjo Gabriel, no momento da expulsão, diz a Adão: “Ajunta ao teu conhecimento ações louváveis, ajunta a fé, a virtude e a paciência, a temperança, ajunta o amor, chamado no futuro caridade, alma de tudo o mais; então não te lastimarás de deixar este Paraíso, pois que possuirás em ti mesmo um paraíso muito mais feliz.” E ele termina o poema, não com a tristeza de um casal desterrado e privado da sua felicidade, mas com a romântica imagem de um par que tem o mundo todo à sua frente para encontrar a Seu Porvir : “ O mundo todo estava diante deles, para escolherem, lá,um lugar para o seu descanso. A Providência era o seu guia.De mãos dadas, com passos incertos e lentos, tomaram, através do Éden, o seu caminho solitário.”



E foi assim que a história do homem livre começou...


Fonte AQUI

segunda-feira, 23 de abril de 2012

A obediência às leis superiores e aos ensinamentos espirituais

"Ao vivermos a obediência interna, intensifica-se a aspiração a leis evolutivas superiores, além daquelas leis da evolução natural e material que normalmente vivemos..."



Por Trigueirinho

Publicado no Jornal OTEMPO em 22/04/2012

...Obedecer significa observar leis, segui-las, cumpri-las. Para nossa alma, a obediência surge da união com as leis universais. Nasce do reconhecimento da unidade que existe em toda a vida, quando descobrimos que há uma original Vontade Única, uma Vontade Maior. Mas precisamos ter em nós, já trabalhada, a decisão de seguir essa Vontade. Isso é obediência.

Tal é o caminho para irmos além do ego humano e para transcendermos nossa personalidade - o pequeno eu. Se sinceramente persistimos na busca da Vontade Maior, obedecer a ela passa a ser espontâneo, algo que vivemos sem dificuldade. E quando a obediência começa a emergir em nós, surge também a persistência, que é uma força transformadora que nasce do poder dessa Vontade.

Ao vivermos a obediência interna, intensifica-se a aspiração a leis evolutivas superiores, além daquelas leis da evolução natural e material que normalmente vivemos. E com essa aspiração, começa também a surgir em nós um amor profundo por toda a Criação.

São conhecidos alguns seres que se tornaram referência de perfeita obediência e suas vidas sobre a Terra demonstraram isso. Uma biografia como a de Pio de Pietrelcina (1887-1968), por exemplo, revela-nos quantos graus de obediência se pode encontrar, dentro de nós, para serem vividos e quantos desafios temos que resolver não só no nível da obediência interna - ao Eu sublime e ao Universo -, mas também no nível da aceitação e da obediência externa que, não raro, tem como agentes situações aparentemente injustas, às vezes incompreensíveis para a mente humana, mas às quais decidimos obedecer.

Nas aparentes injustiças temos grandes provas, verdadeiras oportunidades para transcendermos nossa natural tendência para desobedecer. Quando, há séculos, João da Cruz (1542-1591) afirmou que "Deus mais quer em nós o menor grau de obediência e entrega do que quantas obras possamos realizar", ele nos instruía que a Lei Única está acima de qualquer obra humana e que a adesão a esse nível espiritual é o ponto de partida para jamais nos equivocarmos em nossos passos.

À medida que vamos amadurecendo nesse processo, a obediência praticada com sincero amor e decisão torna-se alimento imprescindível para nosso ser. É na obediência que descobrimos nossa vida verdadeira, pois obedecendo ao que é transcendente, ainda que desconhecido e misterioso, vamos sendo absorvidos na Consciência Maior.

Irmãos, sejamos corajosos e voltemo-nos, decididamente, ao Alto. Que nas menores coisas aceitemos obedecer à Unidade. Assim trilharemos o caminho da obediência que leva ao propósito maior. Assim, deixo-lhes esta breve reflexão.

Para finalizá-la, lembremos uma sábia regra: em obediência, deixa-te conduzir pelo Divino Ser em teu interior. A Ele entrega todos teus pensamentos, sem esperar nada em troca. Essa é uma chave simples e clara.

Palestras do autor poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site: www.irdin.org.br

Fonte Aqui

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Cofre do fim do mundo já passou das 740 mil amostras


Por em 4.03.2012

Nessa semana, está agendado para o cofre do fim do mundo receber quase 25 mil amostras de sementes do mundo inteiro, incluindo grãos que crescem nas montanhas mais altas do mundo e uma planta cujo caule vai na bebida equatoriana do “Dia dos Mortos”.

Com essas adições, o cofre, que já tem quatro anos, e era antigamente conhecido como cofre global Svaldbard de sementes, atingiu um número de amostras maior do 740 mil. Em 2010, o número era de 500 mil.

“Nossa diversidade vegetal está constantemente ameaçada, por danos com incêndios, interesses políticos, guerras e tornados, até coisas mais mundanas, como falha de sistemas de refrigeração e cortes de orçamento. Mas essas sementes são o futuro de nossa fonte de alimentos, já que carregam tesouros genéticos como a resistência ao calor, tolerância a pestes e doenças”, afirma Cary Fowler, diretor de uma das entidades responsáveis pelo cofre.

A ideia do cofre é funcionar como um arquivo de sementes do mundo; como exemplo de possíveis acidentes, um incêndio em janeiro destruiu variedades únicas de bananas, batatas doces e outras frutas que estavam sendo duplicadas em um laboratório das Filipinas.

Entre as amostras chegarão ao cofre, estão:

- Grãos das montanhas Pamir, no Tajiquistão, incluindo trigo que cresce em uma grande variedade de altitudes, em verões quentes, e em invernos frios e secos. Diversidade como essa é importante para o desenvolvimento de um trigo resistente a pragas.

- Uma variedade de trigo conhecida como Norin-10, que é fonte de genes que tornaram o trigo moderno mais forte, com caules resistentes que suportam mais grãos.

- Amarante coletado de uma fazenda familiar do Equador, em 1979. As sementes de amarante eram usadas pelos incas e astecas, e seu caule ainda oferece um pigmento vermelho usado para a “colada morada”, bebida usada no “Dia do Mortos” do Equador.

- Várias subespécies de cevada, importadas da Polônia pelos Estados Unidos. Elas deram origem a várias variações modernas, incluindo uma conhecida como “Klages”, popular entre os fabricantes de cerveja.

O cofre, que foi oficialmente aberto em 26 de fevereiro de 2008, está na montanha Platåberget, perto de Slavadbard, um grupo de ilhas ao norte da Noruega.

O gelo ártico oferece um congelamento natural para as sementes, enquanto um resfriamento adicional mantém a temperatura em menos 18 graus Celsius. O cofre tem a capacidade de armazenar 4,5 milhões de amostras – e cada uma contém cerca de 500 sementes, o que gera um total possível de 2,25 bilhões de sementes. [MSN, Foto]





Fonte AQUI


quinta-feira, 19 de abril de 2012

Telescópio da NASA, o WISE pode ter encontrado outro Planeta: TYCHE

Caso esta teoria se comprove, de novo teríamos um Sistema Solar com Nove Planetas.


TRADUÇÃO:  Thoth3126@gmail.com

Por: ELIZABETH TYLER


Alguns anos atrás, todos pensavam e aceitavam que haviam somente nove planetas em nosso sistema solar, de Mercúrio a Plutão. Mas agora o espaço esta ficando muito mais complicado. A caçada para descobrir o planeta gigante está ligada e quando Plutão foi rebaixado de seu status de planeta seis anos atrás, nós ficamos muito abalados. Ter apenas oito planetas no sistema solar não é tão cativante.

Os quadros murais das salas de aula de astronomia ao redor do mundo foram levados para baixo, diminuiram e rimas novas tiveram que ser aprendidas. Felizmente, os cientistas têm fortes indícios de que existe um nono planeta espreitando além de Plutão, e além do mais, ele pode ser um grande problema em BREVE.


Digitalmente gerado, uma imagem do nosso sistema solar e alguns pontos além.


As provas recolhidas pelo telescópio espacial da NASA, WISE, poderia provar que este gigante de gás está escondido no exterior da Nuvem de Oort, a parte mais remota e externa do sistema solar. O planeta suspeito foi nomeado de Tyche (pronuncia-ty-kee) pelos dois astrofísicos que propuseram a descoberta do "planeta", Daniel Whitmire e John Matese da Universidade da Louisiana em Lafayette, EUA.

O primeiro lote de dados sobre Tyche deverá ser lançado em abril. Depois disso, o planeta pode revelar-se dentro de dois anos, dizem os dois cientistas. "Se isso acontecer, John e eu vamos estar fazendo piruetas. E isso não é fácil na nossa idade." disse o Professor Whitmire.

Depois que Tyche tiver sido localizado, cabe à União Astronômica Internacional (IAU) ou não determinar o status de "planeta" ao novo corpo celeste.


Tyche seria um gigante gasoso maior do que Júpiter e Saturno.


O principal problema da IAU-União Astronômica Internacional poderia ter com a proposta é que Tyche provavelmente se formou em torno de outra estrela/sol e mais tarde foi capturado pelo campo gravitacional do nosso sol. Eles podem até ter que criar uma categoria completamente nova para a bola gigante de gás (N.T. O curioso nessa teoria da existência de Tyche é que ela serviria perfeitamente para explicar e comprovar a existência de outro corpo celeste, este sim já bem conhecido nos meios esotéricos, ocultistas, ufológicos, da nova era, fim do mundo, etc... Seria o planeta NIBIRU, que realmente existe).

Tyche é suspeito de ter quatro vezes a massa de Júpiter com uma órbita ao redor de 15.000 vezes mais distante do Sol do que a Terra, e 375 vezes mais longe do que Plutão. Provavelmente será composto principalmente de hidrogênio e hélio, com uma atmosfera como Júpiter.


A órbita de Tyche ainda esta sendo rastreada e calculada mas sabe-se que seria externa à órbita de Plutão.


O Professor Whitmire acrescentou que o planeta-em-espera terá suas luas próprias, como outros planetas, e sua superfície é coberta de manchas coloridas, faixas e nuvens. Em poucos meses, nós poderíamos estar de volta ao bom e velho número de "nove planetas no sistema solar novamente, cortesia da existência do planeta gigante Tyche.


O Telescópio da NASA, WISE.


Esclarecimento: Segundo um porta-voz da NASA, ainda é muito cedo para dizer se definitivamente os dados do Telescópio WISE confirma ou exclui o objeto da nuvem de Oort. Apenas após os dados serem coletados por mais alguns anos, a hipótese da existência de Tyche será testada.


Via: email

quarta-feira, 18 de abril de 2012

A Família



A família tem estimulado as facetas egoístas de seus membros: apoia o caminho de realização pessoal e enaltece o amor-próprio; alimenta certa obrigatoriedade de convívio, muitas vezes não confessada, em especial entre pais e filhos. Tolhe assim, em muitos casos, a liberdade tão necessária de as pessoas tomarem os rumos a que estavam destinadas.

Em termos ideais, a instituição familiar deveria desempenhar o papel de primeiro instrutor do ser que nela encarnasse, preparando-o para encontrar a própria regência interna e para reconhecer a parte que lhe cabe no progresso do mundo. Todavia, de maneira geral ela é inapta para cumprir tal papel, e o ser encarnante encontra mais obstáculos que facilidades para perceber realidades universais no campo afetivo e no espiritual. Atualmente, quando as instituições criadas para ajudar os seres inexperientes desmoronam (como a família, as religiões, o estado e outras), é preciso ter verdadeira necessidade de chegar à vida espiritual para empreender tal busca por si mesmo e com o mínimo de apoios.

A família, como instituição, está carregando pesado carma, difícil de resolver se os que a integram permanecem no nível dos laços de afinidade ou de rejeição. Uma parte dos atuais problemas de relacionamento em família deve-se, também, ao fato de como grupo social ter perdido o sentido para muitos.

No entanto, grandes e radicais transformações são esperadas. A situação que no presente se vê, ao que parece sem esperança, será modificada com o surgimento de nova forma de convívio, que refletirá a interação entre almas e não se baseará em afinidades ou rejeições puramente humanas. Também outras significativas mudanças se efetivarão na constituição mesma do ser humano num próximo ciclo do mundo.


 
Extraído do livro “Além do Carma” – Trigueirinho
Editora Pensamento
Págs. 46 a 47

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...